Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
19 de abril de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

Com informações da Revista Fórum

MANAUS – O pré-candidato do PDT à Presidência da República, Ciro Gomes, foi entrevistado nesta segunda-feira, 8, pelo jornalista Kennedy Alencar. E claro, o assunto Lula, Haddad, PT e Frente Ampla foram pautados durante a conversa.

Quando questionado sobre a possibilidade de voltar a dialogar com o PT sobre uma possível construção da Frente Ampla, Ciro Gomes afirmou que o seu o foco é retirar o Bolsonaro do poder e revelou que o partido entrou com um pedido de intervenção contra Bolsonaro na Justiça.

Especificamente sobre retomar diálogos com o ex-presidente Lula, Ciro Gomes contou que atendeu um pedido do governador do Ceará, Camilo Santana (PT), e foi ter com o líder do PT.

“Não acho que seja possível [a Frente Ampla], eu conheço essa gente [o PT], não preciso do reconhecimento do PT. Eu fui ao Lula a pedido do Camilo, tivemos uma conversa bastante sério e tudo o que o Lula me falou lá, virou algo ruim”, declarou Gomes para, depois, dizer que não ia “devassar” a conversa que teve com o ex-presidente.

Candidato fake

“O PT que queimou a largada e lançou o Haddad candidato, que é um candidato fake. Nós tínhamos que estar todos sentados conversando para entender o que aconteceu e porque o povo brasileiro nos abandonou”, afirma Ciro Gomes sobre a união das esquerdas em 2022.

“Eu conheço o Lula. Só pensa em si, no PT e o Brasil vem em 15º lugar. Não pode o principal partido da esquerda chamar unidade e lançar um candidato fake e esse candidato sair falando besteira”, criticou.

Ainda sobre o ex-presidente, Ciro Gomes afirmou que “o político mais genial do Brasil é o Lula, está meio enferrujado, mas é o político mais esperto do Brasil”, diz.

Representação na PGR

O PDT entrou nesta segunda-feira, 8, com uma representação na Procuradoria-Geral da República (PGE) pedindo a intervenção do presidente Bolsonaro por não estar apresentando condições saudáveis das faculdades mentais.

“Denota-se que o senhor Jair Messias Bolsonaro não tem o discernimento necessário, nem tampouco capacidades mentais plenas para seguir como presidente”, diz trecho da ação.

Em outro momento, o documento diz, que conforme fora explicitado em linhas anteriores, o senhor Jair Messias Bolsonaro age na contramão dos atos que uma pessoa em plena saúde mental agiria, especificamente porque tem a finalidade deliberada de causar danos à população brasileira, conduzindo o país ao abismo com as suas condutas negacionistas e obscurantistas em detrimento da ciência.

“O PDT está colocando com coragem o dedo na ferida. Não é possível que esse cidadão, responsável pela morte de milhares de brasileiros, que incentiva aglomeração em meio à pandemia, combate toda e qualquer proteção da sociedade, que combate a vacinação, bata bem da cachola. É louco e precisa ser interditado”, disse à Fórum o presidente do PDT-SP, Antonio Neto.