Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
19 de outubro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Com informações da assessoria

MANAUS – O Grande Oriente do Brasil Amazonas (GOBAM), uma das principais potências maçônicas do Estado, realizou eleição no último dia 31 de julho para os cargos de Grão-Mestre Estadual e Grão-Mestre Estadual Adjunto. No último sábado, 7, o resultado das eleições consagrou o coronel da Polícia Militar, Bruno Azevedo, e o contador aposentado, Percival Correa, nos postos de liderança do Gobam.

Para Bruno Azevedo, o momento é de renovação, mas também de avanço e consolidação do Grande Oriente do Brasil Amazonas. “Durante a campanha da nossa Chapa Paz e Concórdia, apresentamos presencialmente e digitalmente as propostas da nossa gestão para a comunidade maçônica. O nosso anseio é desenvolver uma administração forte e verdadeiramente comprometida com os anseios dos maçons”.

As eleições são convocadas a cada quatro anos (Arquivo Pessoal/Divulgação)

Bruno e Percival foram eleitos para uma gestão de dois anos. No Gobam, as eleições são convocadas a cada quatro anos. Mas, por conta da pandemia, a potência maçônica realizou eleição suplementar, após o Grão-Mestre Mozandi Castro falecer de Covid-19 no início de 2021, e o Grão-Mestre Adjunto Jurimar Ipiranga renunciar por conta da doença.

Com isso, Bruno Azevedo assumiu interinamente o Grão-Mestrado de janeiro a junho deste ano, quando se desvinculou do posto para concorrer junto com Percival Correa, que também se desligou do cargo de juiz do Tribunal de Justiça Maçônico do Amazonas (TJM-AM) para compor a chapa.

“A partida dos nossos irmãos acendeu o chamado para assumirmos a missão. Com apoio das lideranças e lojas maçônicas do Gobam, acreditamos que podemos desenvolver os pontos do nosso Plano de Governo para o período de 2021 a 2023”, afirmou Percival.

O Plano de Governo dos eleitos se baseia nos conceitos de gestão inovadora, integração e respeito, com propostas voltadas para a educação, ordens paramaçônicas, articulação social e institucional, e crescimento do quadro.

A posse do novo Grão-Mestre Estadual, Bruno Azevedo, e do Grão-Mestre Estadual Adjunto, Percival Correa, será no próximo sábado, 14.

A ordem política e administrativa da ordem maçônica funciona de forma semelhante as eleições e ordens da sociedade civil. Eleitos democraticamente, o Grão-Mestre e o Grão-Mestre Adjunto possuem a função de ordenar questões econômicas, administrativas e políticas da ordem maçônica no Poder Legislativo, Executivo e Judiciário da ordem.

A Maçonaria e o Gobam

A Maçonaria é um movimento filosófico ativo, universalista e humanitário, no qual cabem todas as orientações e critérios que têm por objeto o melhoramento material e moral da humanidade sobre a base do respeito à personalidade humana, tendo a educação como prioridade estratégica da gestão.

A Maçonaria não é órgão de nenhum partido político nem agrupamento social e se afirma no propósito de estudar e impulsionar os problemas referentes à vida humana, para assegurar a paz, a justiça e a fraternidade entre os homens e os povos, sem diferença alguma de raça, nacionalidade ou crença.

O Grande Oriente do Brasil (GOB) tem 199 anos e é, hoje, a maior Obediência Maçônica do mundo latino e reconhecida como regular e legítima pela Grande Loja Unida da Inglaterra, de acordo com os termos do Tratado de 1935. No Amazonas, o Gobam possui atualmente 35 lojas, sendo 27 na capital e oito no interior do Amazonas.