Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
27 de outubro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

This post is also available in (Post também disponível em): English (Inglês)

Marcela Leiros – Da Revista Cenarium

MANAUS – Cerca de 103.652 mil pessoas já estão sendo afetadas pelas cheias dos rios no Amazonas, segundo relatório divulgado pela Defesa Civil do Estado. Os dados atualizados até este domingo, 28, mostram ainda que 41 municípios das calhas dos rios Madeira, Solimões, Amazonas, Juruá e Purus já sentem os impactos da enchente deste ano e estão classificados em situações de riscos.

As cidades de Guajará, Eirunepé, Envira, Ipixuna, Carauari, Itamarati e Juruá, na Calha do Juruá, estão com uma estimativa de 1/4 de sua população afetada, em torno de 59.181 pessoas. Já na Calha do Purus, nos municípios de Boca do Acre, Pauini, Lábrea, Canutama e Tapauá, 44.471 pessoas foram atingidas até o momento.

Municípios em situação de ATENÇÃO: Humaitá, Apuí, Manicoré, Novo Aripuanã, Borba, Nova Olinda do Norte, Barreirinha, Boa Vista do Ramos, Nhamundá, Urucará, São Sebastião do Uatumã, Parintins e Maués, Atalaia do Norte, Benjamin Constant, Tabatinga, São Paulo de Olivença, Amaturá, Santo Antônio do Iça, Tonantins, Codajás, Anori, Anamã, Caapiranga, Manacapuru, Iranduba, Manaquiri, Careiro Castanho e Careiro da Várzea.

Municípios em situação de EMERGÊNCIA: Guajará, Envira, Eirunepé, Itamarati, Ipixuna, Carauari, Juruá, Pauini, Boca do Acre, Lábrea e Canutama.

Município em situação de TRANSBORDAMENTO: Tapauá.

Situação hidrológica

O relatório da Defesa Civil do Amazonas indica ainda a situação hidrológica nas calhas dos principais rios do Estado. Na Bacia do Juruá, até este domingo, a estação referência, localizada em Cruzeiro do Sul, no Acre, registrou o nível de 10,99 metros. O nível máximo histórico no rio Juruá ocorreu no dia 13 de maio de 2009, quando atingiu 14,62 metros.

Na Bacia do Purus, a estação referência, localizada no município de Lábrea, registrou 21,45 metros. A maior enchente registrada em Lábrea ocorreu no dia 13 de abril de 1997, atingindo a cota de 21,79 metros.

A estação que monitora a região da Bacia do Madeira, no município de Humaitá, registrou até este domingo o nível de 21,74 metros. A maior enchente registrada em Humaitá foi em 9 de abril de 2014, atingindo 25,63 metros.

Na Bacia do Alto Solimões, a estação que monitora a região, no município de Tabatinga, registrou o nível de 11,31 metros. A maior enchente registrada em Tabatinga foi registrada no dia 28 de maio de 1999, quando atingiu 13,82 metros.

Já no Baixo do Solimões, monitorado pela estação do município de Manacapuru, o nível do rio está em 17,81 metros, uma diferença de 2,92 metros para o nível recorde, de 20,73 metros em 24 de junho de 2015.

Edição: Alessandra Leite