Ação solidária entre parceiros e Governo do Amazonas atende mais de 200 indígenas

Com informações da assessoria

MANAUS – O Governo do Amazonas, por meio da Fundação Estadual do Índio (FEI), em parceria com diversos órgãos, atendeu mais de 200 indígenas na ‘Ação Solidária’. O evento foi realizado, nessa sexta-feira, 3, na Praia do Tupé, localizada no bairro Tarumã, zona Oeste de Manaus.

A ação direcionada às comunidades indígenas Tatuyo, Cipiá, Tuyuka e Diakuru, foi realizada por meio da parceria do Governo do Amazonas com a Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania (Semasc), Secretaria Municipal de Agricultura, Abastecimento, Centro e Comércio (Semacc), Instituto Federal do Amazonas (Ifam) e Conselho Tutelar da zona Rural, Cruz Vermelha e outras instituições independentes.

Crianças durante Ação Solidária. (Foto: Amaury Moraes/ FEI)

De acordo com o diretor técnico da FEI, Rafael de Morais, a ação levou acessibilidade até os povos que moram nesta região. “Pudemos levar os serviços necessários e essenciais a esses parentes de maneira mais facilitada, pois sabemos que eles dependem de assistência e, dessa maneira, atendemos muitos dos moradores da área da Praia do Tupé. Esperamos poder fazer isso com muitas outras comunidades indígenas”, disse.

Doações

No local, os moradores das comunidades indígenas receberam doações de roupas e brinquedos, além de 70 cestas básicas doadas pela Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), que foram distribuídas para as famílias.

Parceiros e servidores do Governo do Amazonas durante Ação Solidária (Foto: Amaury Moraes/ FEI)

Atendimentos

Os indígenas receberam serviços médicos, odontológico, oftalmológico, fonoaudiológico, além de poder realizar o agendamento para a emissão de documentos. Entre os destaques foram realizadas oficinas, atividades estéticas e de massoterapia. As crianças da comunidade também puderam prestigiar uma oficina educativa, ministrada pelo Conselho Tutelar.

Para a conselheira tutelar, Ozilene Quadros, o principal objetivo da oficina é alertar as crianças e adolescentes dos riscos e de seus direitos legais. “Estamos aqui nesta ação servindo a comunidade com o intuito de alertar e ensinar as crianças e adolescentes a respeito dos seus direitos para que não sejam violados na sociedade. Por isso, nossa missão foi zelar por eles e acima de tudo, ensinar”, finalizou.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO