Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
28 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Náferson Cruz – Da Revista Cenarium

MANAUS – Em ‘Sabatina Técnica’ da CENARIUM, o candidato a prefeito de Manaus, Gilberto Vasconcelos (PSTU), expôs nesta sexta-feira, 6, as propostas para cooptar investidores para o Polo Industrial de Manaus (PIM), a criação de novas matrizes econômicas e a geração de emprego e renda.

O candidato socialista ressaltou que a prefeitura de Manaus precisa ter mais participação sobre a Zona Franca de Manaus (ZFM). Vasconcelos explica que, atualmente, existe uma necessidade de transformação do modelo industrial de Manaus e, que para isso, primeiramente, há necessidade da manutenção dos empregos, que gira em torno de 100 mil operários no Distrito Industrial.

“Temos que dialogar para que o trabalhador tenha elevação salarial, outro ponto é que no nosso governo iremos atuar para transformar empresas que estão fechando em cooperativas, portanto, só faz sentido o PIM, se tiver uma proposta de futuro melhor. O que temos em Manaus é um imenso abismo de desigualdade social, onde uma ínfima minoria usufrui de quase toda a totalidade do que é produzido aqui”, ressaltou.

Ainda sobre a questão salarial, Gilberto Vasconcelos disse que as propostas que o governo federal tem apresentado – redução salarial para garantir emprego -, só vai gerar miséria. “O governo federal está idealizando uma construção social que não eleva o nível de vida da população”, comentou o socialista em resposta ao representante do Sindicato dos Economistas do Amazonas (Sindecon-AM), Marcus Evangelista.

Grandes empresas não precisam de incentivo’

Questionado por Marcus Evangelista, sobre as alternativas para geração de emprego e renda, Gilberto Vasconcelos, destacou que programa de governo do PSTU prevê incentivos para as micros, pequenas e médias empresas, pois segundo ele, as ‘grandes’ empresas não precisam de incentivo.

“Esse incentivo econômico aliado ao investimento em tecnologia, como a internet, são formas de gerar autonomia, emprego e renda, também deve haver a redução da jornada de trabalho para agregar novas oportunidades de emprego”, pontuou.