Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
29 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Da Revista Cenarium*

SÃO PAULO – Usando suas redes sociais, nesta sexta-feira, 12, o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, cobrou um combate mais forte ao novo Coronavírus no País. Sem citar diretamente o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), mas citando o trecho bíblico usado por ele de forma recorrente – João 8:32 ,”E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” – Mandetta culpou “atitude tola” por mortes recorrentes a Covid-19.

“Quantos dos 800 mil casos confirmados e das 41 mil vidas perdidas a atitude tola foi a responsável? Realidade Inflada? Ainda querendo maquiar? Cuidado. A morte está na espreita e na conta dos incautos. Reflita e reze. Fique com João 8:32. Não cite. Pratique!”, escreveu o ex-ministro.

Nesta quinta-feira, 11, o Brasil superou a marca das 40 mil mortes. Na mesma data, o presidente afirmou que há ganho político para alguns com o aumento do número de mortes e que ninguém no País perdeu a vida por falta de respirador ou leito.
Bolsonaro ainda sugeriu que seus seguidores entrem em hospitais públicos para filmar os leitos de UTI.

“Pode ser que eu esteja equivocado, mas na totalidade ou em grande parte ninguém perdeu a vida por falta de respirador ou leito de UTI. Pode ser que tenha acontecido um caso ou outro. Seria bom você, na ponta da linha, tem um hospital de campanha aí perto de você, um hospital público, arranja uma maneira de entrar e filmar. Muita gente tá fazendo isso, mas mais gente tem que fazer para mostrar se os leitos estão ocupados ou não, se os gastos são compatíveis ou não.”, disse Bolsonaro.

O presidente ainda declarou que há dezenas de relatos de mortes por novo Coronavírus de pessoas que já tinham problemas sérios de saúde e a família, até o momento do óbito, não sabia que havia contraído o vírus. “Isso não é uma pessoa ou outra. São dezenas de casos por dia que chegam nesse sentido. Não sei o que acontece. O que querem ganhar com isso. Tem um ganho político, só pode ser isso, aproveitando as pessoas que falecem para ter um ganho político e culpar o governo federal.”

(*) Com informações do Estadão Conteúdo