Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
20 de outubro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Thiago Fernando – Da Revista Cenarium

Com palavras de ordem “Amazonas de pé, fascismo não” e “Fora Bolsonaro”, cerca de 500 pessoas participaram do ato ‘Amazonas pela Democracia’, realizado na Avenida Djalma Batista, na tarde desta terça-feira, 2. Os manifestantes protestaram contra as últimas atitudes tomadas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), principalmente sobre o apoio dado a manifestações contra o Supremo Tribunal Federal (STF) e ataques preconceituosos.

Idealizado em Manaus pelo estudante Matheus Castro, de anos 20, a manifestação tem como intuito demonstrar a indignação da população amazonense com o Governo Federal. Para ele, esse é só o primeiro de muitos outros atos a favor da democracia nacional.

“É óbvio que mediante ao momento histórico conturbado que estamos passando, mais atos como esse são essenciais para que a nossa democracia seja protegida. Então, vamos conversar por meio das redes sociais para definir o futuro. De ante mão, os estudantes estarão em defesa da democracia como sempre estiveram”, informou Matheus.

A manifestação contou com o apoio de profissionais de vários setores, como alguns enfermeiros que doaram kits de primeiros socorros, e costureiras, que entregaram máscaras para proteção de todos os presentes.

Atos como o realizado em Manaus, estão ganhando força em muitos cidades brasileiras. No último final de semana, aconteceram manifestações parecidas em capitais como São Paulo (SP) e Rio de Janeiro (RJ).

Apoio da OAB e da PM

Apesar das ameaças recebidas através das redes sociais, os organizadores da manifestação declararam que o ato aconteceu de forma pacifica e sem confusões.

Estiveram presentes também alguns membros da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/AM) para garantirem a legitimidade do protesto e segurança dos presentes. De acordo com o advogado e político Marcelo Amil (PCdoB), a luta pela democracia só pode ser feita se as leis e instituições forem respeitadas.

“Independente de ser político ou não ser, eu estaria participando desse ato pela democracia. Temos advogados, estudantes, professores, desempregados e todo mundo que acha que deveria acontecer algumas coisas diferentes do que vem acontecendo no Brasil agora. Estou como cidadão e advogado para dar suporte a essa manifestação legitima que está acontecendo e garantir a paz”, afirmou Amil.

Alguns manifestantes estranharam a presença de policiais militares fortemente armados. Mas, ao ser questionado, Amil elogiou o apoio dado pela Polícia Militar do Amazonas (PM/AM).

“Não temos o que reclamar da atuação da polícia. Eles estão aqui para manter a segurança. Ainda que possamos achar desnecessário o aparato policial, entendo que eles estão cumprindo o protocolo adequado”, finalizou.

Colaborou Carolina Givoni*