Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
22 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Bruno Pacheco – Da Revista Cenarium

MANAUS — Os economistas Marcus Evangelista e Judah Torres foram eleitos, por unanimidade, na tarde desta segunda-feira, 10, presidente e vice-presidente, respectivamente, do Conselho Regional de Economia do Amazonas (Corecon-AM). O pleito contou com os votos dos nove conselheiros titulares do órgão, responsável pelo registro e fiscalização da profissão no Estado, que definiram os gestores para o mandato de 2022.

A posse dos economistas aconteceu após a eleição. À REVISTA CENARIUM, Marcus Evangelista destacou os projetos que pretende implementar à frente do órgão neste ano e que espera ter uma gestão positiva. O economista já foi presidente do Corecon-AM nos anos de 2013, 2014 e 2015, período em que criou projetos de duplicação da sede e realizou o Congresso Brasileiro de Economia, além de 53 cursos voltados para variados temas. Atualmente, também é presidente do Sindicato dos Economistas do Estado do Amazonas (Sindecon-AM) e consultor empresarial.

Judah Torres (à esq) e Marcus Evangelista são eleitos para assumir o Corecon-AM em 2022 (Arquivo Pessoal/Reprodução)

“Nosso foco é na valorização do profissional economista, buscaremos melhorias de nossa infraestrutura e benefícios para nossa classe. O Corecon-AM é o órgão de maior representatividade da classe, a gestão é conjunta, contamos com todos os conselheiros para poder fazer uma gestão positiva e que possamos contribuir para a sociedade dentro da nossa área. Nossa gestão será feita com amor e respeito à classe e a unanimidade nos votos demostra que poderei contar com os nossos conselheiros”, destacou Evangelista.

Para o novo presidente do Corecon-AM, um profissional de economia é fundamental para que toda empresa obtenha o sucesso e supere dificuldades econômicas, principalmente, em meio à pandemia da Covid-19. “A pandemia é um desafio para todos, mas para o economista é um tira-teima que coloca o profissional à prova. Dentro da conjuntura atual, toda empresa deveria ter um profissional de economia em seu corpo técnico para poder traçar planos para superar as dificuldades econômicas trazidas pela pandemia às empresas”, frisou.

União

O vice-presidente eleito do Corecon-AM, Judah Torres, afirma à REVISTA CENARIUM que as sugestões ouvidas durante apresentação de projetos na plenária serão consideradas durante a nova gestão. Para ele, a votação unânime dos conselheiros titulares significa que todos entenderam que o momento é de união para que a nova gestão do órgão consiga vencer os desafios que a classe enfrenta.

“Fomos eleitos com unanimidade dos votos dos conselheiros. Na plenária, pudemos ouvir sugestões que serão levadas durante nossa gestão. Um mandato é construído inicialmente com o apoio dos membros, sem esse apoio é impossível ter uma gestão de sucesso”, salientou Torres.

Gestão

Judah Torres enfatiza que, durante o novo mandato, um dos objetivos da chapa é renovar a sede do Conselho Regional de Economia do Amazonas e torná-la, novamente, em um ambiente que possa acolher os economistas. Ele afirma que é preciso reformar o que o tempo deteriorou, construir escritórios para uso de registrados no órgão, além de implantar o cartão de benefícios e assistência do economista.

“Temos que reformar o que o tempo deteriorou e, além disso, implementar melhorias como escritórios que serão construídos e colocados à disposição dos economistas que não possuem local fixo para atendimento dos seus clientes. É uma forma de dar vida à estrutura, trazer o economista pra dentro do conselho, além de ser um serviço prestado aos nossos registrados. Pretendemos ainda implantar o cartão de benefícios e assistência do economista”, ressaltou.

Para o economista Judah Torres, o principal desafio é trazer o Corecon-AM para o centro do debate econômico do Estado. Segundo ele, existem conselheiros e registrados extremamente competentes que podem propor soluções para a recuperação econômica do Amazonas e que precisam ser ouvidas.

“Essas pessoas precisam ser ouvidas, a opinião do conselho precisa ter seu valor reconhecido novamente pelos gestores públicos e estamos de portas abertas para ajudar nessa retomada do crescimento em um momento pós-pandemia. Além disso, precisamos capacitar os jovens economistas para se posicionar no mercado nesse momento, ensinando como o mesmo pode ofertar seus serviços para a iniciativa privada e com isso ocupar espaço no mercado de trabalho. Iremos implantar os cursos de capacitação, ensinando na prática como dar os primeiros passos na profissão em busca da autonomia financeira”, concluiu.