Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
17 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Com informações do InfoGlobo

GOIÂNIA — Após um velório sob forte emoção de parentes, amigos e milhares de fãs, o corpo da cantora Marília Mendonça foi enterrado em Goiânia. Morta aos 26 anos em um acidente aéreo na sexta-feira, 5, em Minas Gerais, a artista mais popular do País foi sepultada em uma cerimônia restrita no cemitério Parque Memorial.

Após um velório marcado pela comoção da tragédia que vitimou a artista e outros quatro tripulantes do avião, o corpo de Marília Mendonça deixou o Goiânia Arena sob o som de ‘Todo mundo vai sofrer’, refrão de um de seus maiores ‘hits’ cantados pela população que esperava do lado de fora do ginásio para prestar suas últimas homenagens.

No trajeto até o cemitério, as duplas Maiara e Maraisa e Henrique e Juliano foram junto com o caixão, em cima do carro de bombeiro. A música, que marcou a vida de Marília desde os 12 anos, esteve presente na parte final do velório, marcado até então pelo silêncio, pela incredulidade e pela tristeza.

Depois do fechamento dos portões do estádio à fila de fãs que ainda tentava se despedir da cantora, as duplas Maiara e Maraisa, e Henrique e Juliano, cantaram canções religiosas em homenagem à Marília Mendonça. Os quatro artistas estavam entre os mais próximos da cantora desde o início de sua carreira.

As irmãs também cantaram a música ‘Esqueça-me se for capaz’, ‘hit’ lançando, recentemente, com Marília Mendonça. Ao final, a dupla finalizou “Nunca te esquecerão, Marília”.

Em discurso emocionado, Henrique agradeceu a equipe de Marília. A dupla cantou a música ‘A flor e o Beija-flor’, um dos sucessos que apresentou Marília ao grande público, em parceria com Henrique e Juliano.

O sertanejo, Mateus, da dupla Jorge e Mateus, disse, na saída do velório, que Marília era uma menina que “todos amavam” e deixa um legado. “Marília era completa. Como ser humano, como artista. Uma menina que todos amavam. (Deixa) Um legado de amor à música, de amor aos amigos, à família. Só coisas boas. Não tem uma coisa para falar mal da Marília”, disse.