Ministro da Justiça falta reunião em que daria esclarecimentos sobre segurança no Vale do Javari; comissão pede mais segurança a indígenas

Marcela Leiros – Da Revista Cenarium

MANAUS – O ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, não compareceu à reunião conjunta da Comissão de Direitos Humanos (CDH) e da Comissão Temporária sobre a Criminalidade na Região Norte (CTENORTE) criada para acompanhar, “in loco“, as investigações sobre as causas do aumento da criminalidade e de atentados na Região Norte, agendada para a tarde desta quarta-feira, 22. A audiência foi adiada, sem data definida.

Como a REVISTA CENARIUM noticiou na segunda-feira, 20, Torres e representantes da União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja) foram convidados a dar mais informações sobre a violência na região onde morreram Bruno Araújo Pereira e Dominic Mark Phillips, o “Dom Phillips”. Não foram dados motivos para o não comparecimento do ministro, mas a assessoria parlamentar afirmou que ele está “à disposição para receber os parlamentares da comissão”.

Da esquerda para a direita: o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), senador Humberto Costa (PT-PE) e o assessor jurídico da Univaja, Eliesio Marubo (Marcela Leiros/CENARIUM)

Na sessão em que a Univaja foi ouvida, o assessor jurídico da organização indígena, Eliesio Marubo, reiterou o pedido de proteção aos coordenadores. Marubo pontuou que o cuidado com o resguardo tem sido redobrado, mesmo que as forças de seguranças instaladas no Vale do Javari durante as buscas ao jornalista e ao indigenista tenham saído da região.

“Estamos tomando os devidos cuidados. Não tem mais ninguém lá. Como eu disse, em vários momentos, depois que eles [Dom Phillips e Bruno Araújo] fossem encontrados, voltaria à normalidade e a normalidade é esse estado de insegurança”, disse ele.

Além do requerimento enviado à Polícia Federal (PF) solicitando proteção aos coordenadores Eliesio Marubo, Paulo Marubo e Beto Marubo, além dos vigilantes da Equipe de Vigilância da Univaja (EVU) e da Frente de Proteção Etnoambiental, outro documento será enviado ainda nesta quarta-feira reiterando o pedido.

Viagem ao Vale do Javari

A expectativa da comissão é viabilizar, para semana que vem, a viagem dos parlamentares das duas comissões do Senado, assim como dos parlamentares da comissão temporária criada na Câmara dos Deputados, ao Vale do Javari. A intenção é ouvir os envolvidos na investigação como o superintendente da Polícia Federal, no Amazonas, Eduardo Alexandre Fontes, os presos Amarildo da Costa Oliveira, conhecido como “Pelado”, Oseney da Costa Oliveira, o “Dos Santos”, e Jeferson da Silva Lima, o “Pelado da Dinha”.

O objetivo de ainda ouvir o ministro da Justiça e o presidente da Funai, Marcelo Xavier, não está descartado. “A gente tem que ir à diligência, saber como está a investigação, ouvir a PF, se for o caso, ouvir os presos, se não houver nenhum impedimento judicial. Após isso, a gente ouve o ministro da Justiça e o presidente da Funai”, explicou o presidente da CTENORTE, Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO