4 de março de 2021

Com informações da assessoria

MANAUS – Uma miniusina geradora de oxigênio com capacidade de produção de 27 metros cúbicos por hora foi inaugurada, na manhã desta quinta-feira, 11, pelo Governo do Amazonas, na Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon). O equipamento instalado na unidade é uma doação da campanha SOS AM, composta por grupos da sociedade civil e empresários, e irá somar no atendimento da demanda do insumo na fundação.

O início do funcionamento foi marcado, de forma simbólica, pelo desmanche do laço de fita pela equipe da FCecon, representantes da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) e colaboradores da campanha SOS AM. Segundo o diretor-presidente da fundação, Gerson Mourão, a miniusina será um suporte adicional do insumo para a unidade, que atualmente possui um tanque de oxigênio com capacidade de 9.700 metros cúbicos instalado nas dependências do local.

“Ela tem uma vazão muito boa para dar uma sustentabilidade ao nosso trabalho e segurança. Tanto é verdade que, com a presença dela e o reequilíbrio do oxigênio hoje, dentro do nosso sistema todo do estado, nós estamos voltando a operar nossas pacientes. Então, nós estamos fazendo um teste para ver como ela vai funcionar e provavelmente em dez dias nós já estamos a todo vapor trabalhando dentro da fundação”, explicou Gerson Mourão.

A inauguração da miniusina de oxigênio ocorreu nesta quinta-feira, 11, e contou com a presença das instituições envolvidas no SOS AM (Arthur Castro/Secom)

A representante da SOS AM, Mirela Hoenicke, que esteve à frente da doação na articulação com o estado, explica que a mobilização foi feita por meio da campanha para contribuir com a sociedade amazonense no atual cenário da Covid-19 e destaca que a FCecon foi escolhida para receber o equipamento em virtude do trabalho realizado para atender as pessoas com câncer.

“Nós entendemos que a usina em unidades de saúde faz com que o sistema seja abastecido, então você consegue ter a usina produzindo para um hospital, e a demanda de oxigênio para os outros também é reduzida. E nós escolhemos a Fundação Cecon como uma das que estão recebendo as nossas usinas, por conta do trabalho que é feito após essa crise da Covid”, disse Hoenicke.

Implantação de miniusinas

Devido ao agravamento dos casos de Covid-19, o Governo do Amazonas, em parceria com o Governo Federal, adotou um plano estratégico de instalação gradual de mais de 60 miniusinas em todo o estado para dar suporte à atual demanda de oxigênio, conforme explica o secretário-executivo de Assistência da Capital da SES, Jani Kenta Iwata.

“Existe uma parceria do Ministério da Saúde, do Governo do Estado, empresários, ONGs, a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Região Metropolitana de Manaus (Seinfra) coordenando todo esse processo de implantação de 69 usinas, em todo o estado. Isso inclui a capital e, sobretudo, o interior do Amazonas”, enfatizou.

Outras medidas

O secretário-executivo de Assistência da Capital da SES esclarece também que, além da instalação de miniusinas, o governo tem atuado na distribuição de condensadores de oxigênio, cilindros e, ainda, na instalação de tanques com o insumo nas unidades, com objetivo de atender a demanda de leitos clínicos e de Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

“Com toda essa ação, a parte assistencial traz uma estabilidade para a rede assistencial, na parte hospitalar de leitos clínicos e de leitos de UTI. Então, com essas ações e o decréscimo da taxa de transmissão, a gente finaliza uma estabilização de uma provável redução dos casos”, concluiu.