Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
24 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Victória Sales – Da Cenarium

MANAUS – Pelo segundo dia de bloqueio na BR-174, caminhoneiros fecharam a principal rodovia que liga Manaus a Boa Vista, na tarde dessa quarta-feira, 8, para fazer uma manifestação a favor do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido). Mas em contrapartida a isso, os moradores de Roraima já começaram a especular a faltar de produtos essenciais como combustíveis e alimentos não perecíveis.

De acordo com um técnico de enfermagem que não quis se identificar por medo de represália, em Boa Vista a população está em pânico. “Com a rodovia parada, nós não temos acesso à gasolina e aos alimentos que vêm por ela. Sobre a gasolina, o que tem é o que já estava nos postos, então a população teme que o produto acabe em algum momento, visto que foi anunciado que a paralisação não tem data e nem horário para encerrar”, destacou.

Outra moradora de Boa Vista, que preferiu não informar o nome e profissão por medo de perder o cargo que ocupa no Estado, informou que logo quando foi anunciada a paralisação nas estradas, a população já começou a ficar preocupada com a questão do desabastecimento. “A primeira preocupação foi com a gasolina, então a maioria das pessoas procurou os postos, e na madrugada desta quinta-feira, 9, os postos estavam bem lotados, as filas estavam bem grandes nesses locais, outros postos já começaram a ficar sem gasolina, mas foram poucos”, ressaltou.

Interdição de rodovia no Km 482 da BR-174 (Nilzete Franco/ FolhaBV)

Retorno

A Polícia Rodoviária Federal de Roraima (PRF-RR) lançou uma nota, na manhã desta quinta, informando que o trecho do Km 482 da BR-174 no Estado de Roraima está interditado por manifestantes para trânsito de veículos de carga. A PRF-RR destacou ainda que os veículos de carga perecível, carga viva, veículos de passeios e ônibus podem transitar normalmente nos dois sentidos da via. A Polícia Rodoviária Federal está adotando medidas para liberar o fluxo na rodovia.

Em Manaus, a PRF-AM informou que as rodovias federais no Amazonas continuam com fluxo normal. Eles informaram ainda que há pontos estratégicos de interdição ou manifestações. “Nossas equipes estão posicionadas para garantir a mobilidade nas rodovias do Estado”, informaram.

Questão econômica

Segundo o economista Origenes Martins, os caminhoneiros adquiriram uma importância bastante forte em todo o País, em função do peso que o transporte rodoviário tem na produção. “Em Manaus, nós temos duas opções, que é o transporte rodoviário e o fluvial, dividindo o peso quando ocorre uma paralisação dos caminhoneiros, por exemplo. No caso de Roraima porém, a dependência do transporte rodoviário é visceral e uma paralisação vai criar um transtorno imensurável”, explicou.

Origenes ressalta ainda que os combustíveis e os alimentos são os principais atingidos, mas o próprio transporte de pessoas vai sofrer consequências pelos transtornos que serão causados. “Tanto é que nas manifestações do dia 7 de Setembro, os caminhoneiros tiveram tanto destaque”, relembrou sobre os atos que aconteceram na última terça-feira, em todo os País.

Em um vídeo divulgado na manhã desta quinta-feira, 9, o governador de Roraima, Antônio Denarium, pediu que os caminhoneiros reabram a rodovia BR-174. De acordo com o representante estadual o ato irá prejudicar a economia do Estado, além de fazer alvoroço na vida da população. Na gravação ele ressalta ainda que nas manifestações do Dia 7 de setembro houve um grande movimento a favor de Bolsonaro, mas o fechamento da rodovia não será benéfico.

“Estamos aqui na ponta, se fechar uma rodovia lá no Amazonas eles não perderão nada, quem irá sofrer será Roraima. Vamos liberar a estrada, uma passagem do público e o direito de ir e vir. Se fechar a rodovia, aqui em Roraima irá fechar rodovia, vai faltar alimentos, vai faltar óleo diesel, energia elétrica e vai tumultuar a vida das pessoas, e quem perde mais são aquelas pessoas de baixa renda que mais precisam ” disse Denarium.

Governador de Roraima, Antônio Denarium, pediu que os caminhoneiros reabram a rodovia BR-174. (Reprodução)

Bloqueio no País

Pelo segundo dia de manifestação, caminhoneiros de todo o Brasil paralisaram as principais rodovias de pelo menos 10 cidades. Até a manhã desta quinta-feira foram registrados bloqueios em São Paulo, Goiás, Bahia, Maranhão, Pará, Tocantins, Santa Catarina, entre outros.

O presidente de República ainda gravou um áudio pedindo o fim do bloqueio nas estradas, mas muitos caminhoneiros ainda estão achando que o áudio é falso. Na gravação, Bolsonaro diz que o ato atrapalha a economia do País e prejudica todo mundo, principalmente os mais pobres.

Além das manifestações nas rodovias, os caminhoneiros também bloquearam vias da Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Segundo informações preliminares, apoiadores de Bolsonaro viraram a noite no local, o qual as viaturas policiais precisaram se deslocar para reforçar ainda mais a segurança do local.