1 de março de 2021

Mencius Melo – Da Revista Cenarium

MANAUS – Como se não bastassem as dores diante da dura realidade de não poder velar os mortos por Covid-19, os moradores da periferia de pequena Correntina, no oeste da Bahia, tiveram um choque quando encontraram um caixão caído na estrada que liga o município à cidade de São Desidério, nesta terça-feira, 26. Para piorar dentro do caixão havia um corpo embalado em saco plástico.

De acordo com o Portal Metro, ao se aproximar, moradores notaram que o caixão estava com uma identificação na tampa. O morto é vítima da Covid-19 e para tornar o achado ainda mais preocupante para os moradores, a placa indicava ‘risco biológico’, o que é óbvio em se tratando de mortos pelo novo coronavírus. Por sorte, além do nome do falecido, havia a identificação da funerária e do hospital.

Resgate

Sem poder tomar qualquer outra iniciativa, os moradores locais ligaram para a funerária, que retornou ao local para resgatar o caixão. De acordo com os funcionários da empresa funerária, o caixão caiu do carro funerário durante o transporte e o motorista não notou a perda da carga. Para tristeza maior dos parentes, a prefeitura do município disse que o corpo embalado em plástico vedado com os dizeres “risco biológico classe III covid-19” era de Misael Vieira da Silva.

O fato inusitado virou notícia e é mais um triste episódio na novela trágica que se arrasta da pandemia no Brasil. Correntina é conhecida por sua produção de mamona, largamente utilizada na produção de biodiesel e também por ter inúmeros atrativos naturais que atraem turistas da região. O município que fica na divisa da Bahia com Goiás é banhado por cinco rios de águas cristalinas são eles: Correntina, Arrojado, Santo Antônio, Guará e Rio do Meio. Também possui grutas e cachoeiras, que são abertas para visitação.