27 de outubro de 2020

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC

Da Revista Cenarium*

MANAUS – O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) comentou hoje a situação envolvendo o senador Chico Rodrigues (DEM-RR), pego com dinheiro na cueca em operação da Polícia Federal, e afirmou que “membro do governo [ele] não é”.

Embora não seja um integrante do Executivo, na verdade, o parlamentar era vice-líder de Jair Bolsonaro (sem partido) no Senado Federal – ele acabou sendo exonerado do cargo no início da tarde.

De acordo com Mourão, Rodrigues seria uma “linha auxiliar do governo”, e não um quadro efetivo. “Todos aqueles que estão dentro do Parlamento e que trabalham em favor do governo, ocupando cargos de vice-liderança e até mesmo fazendo parte da base, são uma linha auxiliar. Ele não é um membro do Executivo”.

O vice-presidente destacou ainda avaliar que o melhor caminho para Chico Rodrigues seria o afastamento voluntário. “Eu acho que seria bom ele voluntariamente até para poder se defender das acusações que tem de forma mais livre.”

O senador foi flagrado ontem com R$ 30 mil dentro da cueca em uma operação que investiga desvio de recursos públicos destinados ao combate à pandemia do coronavírus em Boa Vista. “Lamento pelo senador Chico Rodrigues. Sempre teve um bom relacionamento. Tem que terminar essa investigação obviamente”, afirmou Mourão

“Agora, o segundo aspecto é aquela história de que o presidente tem interferência na PF. Ele não interfere em nada. Está aí a face mais clara disso aí. Independente da posição que a pessoa tem em relação ao governo, se está metida em alguma atividade ilícita, a Polícia Federal tem plena liberdade para agir. De resto, vamos aguardar”.

“Não tenho nada com isso”

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) comentou hoje, ao deixar o Palácio da Alvorada, a operação da Polícia Federal em Roraima que encontrou dinheiro na cueca do vice-líder do governo no Senado, Chico Rodrigues. A apoiadores, Bolsonaro tentou se afastar do senador, dizendo não ter “nada a ver com isso”. O presidente ainda culpou a imprensa por relacioná-lo ao caso.

“A operação de ontem é fator de orgulho para o meu governo, para o meu ministro Wagner Rosário e para a minha Polícia Federal, e não isso que a imprensa está falando agora, que tenho a ver com essa corrupção”, afirmou. Chico Rodrigues tornou-se vice-líder do governo em março do ano passado. À época, o senador afirmou que fora o próprio presidente quem o escolheu.

Como representante do governo no Congresso, o senador tem trânsito livre no Palácio do Planalto, com direito a encontros frequentes com Bolsonaro. No final de março do ano passado, ele chegou a integrar a comitiva presidencial que viajou para Israel.

(*) Com informações da Uol

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.