Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
1 de dezembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Com informações do Ministério Público do Amazonas

O Ministério Público do Amazonas, pela 2ª Promotoria de Justiça de Manacapuru, requereu hoje, 31/05, à Justiça, a anulação do ato administrativo que levou ao afastamento do professor Jackson Azevedo da direção da Escola Zoraida Ribeiro Alexandre, da rede municipal de educação. A Ação Civil Pública foi ajuizada com pedido de tutela de urgência e visa reverter as punições impostas ao professor pelo secretário Municipal de Educação.

Conforme denúncia recebida pelo MP-AM, no último dia 27/05, o professor foi desacatado verbalmente e ameaçado pelo vereador Gérson D’Ângelo, depois de adverti-lo quanto à obrigatoriedade do uso da máscara dentro da escola.

Antes de ajuizar a ACP, a promotora de Justiça instaurou Procedimento Preparatório para coletar elementos de prova referentes à suposta conduta.

“O Ministério Público entende que a ação foi praticada com desvio de finalidade, por tudo o que foi apurado, o professor foi a vítima e não o causador da situação ocorrida no interior da escola envolvendo o vereador. O MP também pediu a suspensão da sindicância instaurada contra o professor, até que todos os fatos sejam esclarecidos”, ressaltou a promotora de Justiça Tânia Maria de Azevedo.