Mulher dona de garimpo na Terra Indígena Yanomami é presa com armas pela Polícia Federal em Roraima

Com informações da assessoria

BOA VISTA – Agentes da Polícia Federal prenderam no domingo, 19, um homem foragido da Justiça do Amapá e uma mulher por posse irregular de arma de fogo. As prisões ocorreram após os policiais receberem informações de que o foragido estaria escondido em uma fazenda no município de Alto Alegre, distante 114 quilômetros de Boa Vista, pertencente a uma mulher que seria dona de um garimpo na Terra Yanomami.

Após a equipe policial diligenciar, nas proximidades do referido imóvel rural, avistaram o foragido que recebeu voz de prisão. No local, foram encontradas várias armas, sendo uma espingarda calibre 22, um revólver calibre 38, uma pistola de 9mm e outra de calibre 38, além de diversas munições de variados calibres.

A proprietária do local apresentou a documentação de apenas uma das armas. Como não possuía autorização para as demais armas localizadas, no local, recebeu voz de prisão em flagrante por posse ilegal de arma de fogo de uso permitido.

A mulher foi conduzida à sede da Polícia Federal para os procedimentos de praxe e acabou sendo liberada após o pagamento de fiança arbitrada pela autoridade policial no valor de R$ 45 mil.

Garimpo Ilegal

A Terra Indígena Yanomami é o maior território demarcado do País e, de acordo com o ISA (Instituto Socioambiental), abriga 26.780 indígenas, incluindo povos isolados. A terra indígena completou 30 anos de demarcação no dia 25 de maio. No ano passado, dois indígenas isolados foram assassinados a tiros no território por invasores.

Em 2019, o relatório feito pelo Unicef (Fundo das Nações Unidas para as Crianças), em parceria com a Fiocruz e o Ministério da Saúde, apontou que 81,2% das crianças menores de cinco anos, pesquisadas na região, tinham baixa estatura para a idade (desnutrição crônica), 48,5% estavam com baixo peso para a idade (desnutrição aguda) e 67,8% estavam anêmicas.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO