8 de março de 2021

Priscilla Peixoto – Da Revista Cenarium

MANAUS – Um grupo de sete mulheres movimenta a zona Sul de Manaus, por meio das redes sociais, com o projeto “Mulheres Empoderadas”. Com intuito de ajudar mulheres em situações de riscos e lutar por implementações de políticas públicas que efetivem os direitos da mulher em todos os âmbitos sociais.

O projeto já existe há quase um ano e tem como fundadora, a tapauense e empreendedora Gleiciane Lima de 29 anos. A necessidade de idealizar a iniciativa surgiu após Gleiciane acompanhar os procedimentos de visita domiciliar do Conselho Tutelar (CT).

“Quando fui fazer uma visita domiciliar a uma família em condição de vulnerabilidade com o conselheiro tutelar, Hildo Almeida (meu esposo), vi de perto que as mulheres estão sujeitas a sofrer vários tipos de violações. Senti no meu coração a vontade de criar este projeto”, revelou Lima.

Campanha Mãezinha Feliz, onde as integrantes preparam kits de enxovais para as gestantes em situações de riscos sociais (Reprodução/arquivo pessoal)

Estrutura

Atualmente, o projeto ainda não possui sede própria para que os atendimentos sejam realizados. No entanto, a falta de um espaço não impede as voluntárias de dar continuidade ao trabalho social.

“De forma quinzenal nos reunimos para formação e planejamento de ações. E semanalmente terças-feiras e quintas-feiras para visitas domiciliares às mulheres identificadas em situações de riscos e vulnerabilidades sociais,” explica Gleiciane.

Atendimentos médicos com parceiros do projeto (Reprodução/arquivo pessoal)

A pretensão é expandir as atividades para além do Complexo Mauá, que abrange quatro bairros, sendo eles; Mauazinho I e II, Jardim Mauá e Parque Mauá, que, segundo Gleicene, apenas nesta área da cidade há pelo menos trinta mil pessoas.

Segundo a idealizadora, a principal preocupação do coletivo além de atender as necessidades das mulheres que precisam de ajuda é legalizar e conseguir parceiros para a iniciativa.

“Por enquanto nosso projeto ainda não está legalizado, mas pretendemos legalizar o quanto antes e estamos em busca de parcerias de empresas, órgãos municipais e estaduais ou entidades sociais”, explica.

Ações

A empreendedora explica que dentro do projeto há pelo menos três principais frentes de ações. A campanha “Mãezinha Feliz”, em que as integrantes do coletivo preparam kits de enxovais para que as gestantes em situações de riscos sociais possam garantir itens básicos para os recém-nascidos.

O “Imagem Poderosa” é outra frente que promove a autoestima e a valorização da imagem da mulher. Nele, as participantes têm um dia de beleza, com maquiagem, manicure e pedicure, além da produção de ensaios fotográficos.

A terceira ação é voltada para atender mulheres em situações de riscos nutricionais. Intitulada de “Alimente Uma Vida”, a proposta é balancear a alimentação e a saúde das participantes, por meio de doações de alimentos e conscientização sobre a alimentação saudável.

O projeto dispõe de um dia de beleza para cuidar da autoestima feminina (Reprodução/arquivo pessoal)

Além das três principais ações do projeto, outros atendimentos são realizados. Por meio do Conselho Tutelar e Defensoria Pública, além da distribuição de medicamentos, orientações sobre violência doméstica, exames laboratoriais e encaminhamentos para o mercado de trabalho.

São realizados também a emissão de documentos oficiais como carteira de trabalho e Registro Geral (RG), além da doações de cestas básicas, totalizando 210 atendimentos essenciais em apenas um ano de existência do projeto.

Além das agentes e voluntárias, a iniciativa também está de portas abertas para receber novas integrantes. “É um projeto lindo e necessário. Espero que mais mulheres e colaboradores se juntem a nós e percebam o quanto fazemos a diferença nessas pequenas ações que juntas se tornam grandes”, finalizou Gleici.

Ajuda

Os interessados em apoiar o projeto “Mulheres Empoderadas” podem entrar em contato pelo Instagram @empoderadas_mulher12, ou ainda fazer ligações pelo numero (92) 98190-9628.