Na semana do festival, preços para viagens aéreas Manaus/Parintins passam de R$ 8,1 mil e ficam mais caros que voos para Paris

Bruno Pacheco – Da Revista Cenarium

MANAUS – Os preços das passagens aéreas ida e volta Manaus/Parintins, no interior do Amazonas, passam de R$ 8,1 mil, nesta semana em que é realizado o Festival Folclórico dos bois-bumbás Garantido e Caprichoso e já ficam mais caros que os voos para os aeroportos internacionais Charles de Gaulle e Orl Airport, em Paris, na França, segundo consulta nesta segunda-feira, 20, no aplicativo de viagens 123Milhas. A ferramenta, que funciona como uma moeda de troca, onde o cliente ganha “milhas” cada vez que fizer uma viagem, mostrou que ir para a cidade francesa chega a ser R$ 200 mais barato.

Quem deseja viajar de Manaus a Paris precisa desembolsar, ao menos, R$ 6,2 mil na passagem aérea ida e volta na mesma plataforma de viagens. Com as taxas de embarque e serviço, os preços aumentam para R$ 6,9 mil para Paris e R$ 8,3 mil para Parintins. Os valores, tanto para a cidade parisiense quanto para o município amazonense, são referentes à quantia mínima a ser paga pelos passageiros que quiserem ficar seis dias nos locais, embarcando em 22 de junho deste ano e retornando no dia 27 deste mês, de acordo com a pesquisa realizada pela REVISTA CENARIUM.

Na mesma data, quando consultado às 10h40 desta segunda-feira, 20, no site da companhia Azul Linhas Aéreas, que faz voo direto de Manaus para Parintins, há vagas com saída da capital amazonense, em 22 de junho, no valor de R$ 2.575,83, mas não há lugares para quem deseja retornar na segunda-feira, 27. O dia mais próximo, com vagas disponíveis para quem busca retornar de Parintins para Manaus, é na quarta-feira, 29, no valor a partir de R$ 2.560,90.

Ao todo, o passageiro que busca comprar passagem para ir de Manaus à Ilha Tupinambarana nesta semana, em 22 de junho, e retornar na próxima, 29 de junho, precisa gastar R$ 5.136,73 na Azul Linhas Aéreas já com as taxas e serviços de R$ 64,93 inclusas. Na companhia Azul Internacional não há voos disponíveis na mesma data para Paris, na França, de acordo com a pesquisa da CENARIUM.

Preços na companhia Azul Linhas Aéreas de Manaus para Parintins (Reprodução)

Aumento

O retorno do Festival Folclórico de Parintins (a 369 quilômetros de Manaus) foi anunciado pelo governador Wilson Lima (União Brasil) em março deste ano. O evento realiza sua 55ª edição e acontece nos dias 24, 25 e 26 de junho, após dois anos sem ser realizado por conta da pandemia de Covid-19.

A festa é o principal motor da economia da cidade de Parintins. Em 2019, mais de 60 mil visitantes foram à cidade no período do evento. A estimativa do Governo do Amazonas é que o festival injete, em 2022, entre R$ 80 e R$ 100 milhões na economia do município, segundo dados da Prefeitura de Parintins.

Para este ano, comerciantes e prestadores de serviços também estimam aumento de 85% a 90% no lucro, mas com a disparada dos preços das passagens aéreas, muitos vêm temendo menor ganho. Em março deste ano, com a confirmação das datas oficiais do festival, a REVISTA CENARIUM mostrou que já era possível encontrar passagens aéreas com altos valores.

Nas companhias aéreas Gol e Azul, era possível encontrar passagens com valores entre R$ 1,1 mil (ida) a R$ 2,5 mil (volta) durante os dias do festival. Somente na Azul, o preço da viagem para o município, com saída no dia 24 e retorno no dia 27, totalizava R$ 3.988,73, segundo consulta da REVISTA CENARIUM, em março deste ano, no site da empresa.

Veja também: Após confirmação do Festival de Parintins, preços de passagens disparam e frustram internautas

Prejuízo a Parintins

Nesta segunda-feira, 20, o Garantido condenou, veementemente, a escalada de preços e pediu para que os órgãos de controle do consumidor atuem para conter os valores das passagens aéreas. Para a direção-geral do boi-bumbá, os valores das viagens são um exagero sem precedentes.

“A gente vê com muita preocupação essa exorbitância nos preços, claramente ancorada na oportunidade de um lucro exagerado diante da realização do festival. Um lucro que gera um prejuízo institucional para Parintins e para a festa, porque as empresas lucram, exageradamente, com essas tarifas altas e deixam o evento inviável para quem não tem como ir à festa”, declarou o cantor e compositor Mencius Melo, membro da Direção-Geral de Espetáculo (DGE) do Boi Garantido.

Para Melo, o alto valor das passagens faz com que Parintins deixe um recado para o Brasil e para o mundo. “Lucram as empresas e perde Parintins, porque estamos dando um recado ao Brasil e ao mundo de que vir para cá é muito caro e isso, claro, não é bom para a gente”, finalizou.

Já a direção do Boi Caprichoso destacou que o festival tomou proporções grandiosas, comparadas a eventos internacionais e, com tanta força econômica envolvida, é difícil controlar a movimentação financeira nos valores das passagens aéreas. Para o bumbá, contudo, é necessário bom senso.

“A gente torce para que haja bom senso e que tudo possa ser resolvido para que nosso festival folclórico se reafirme como umas das fortes manifestações culturais e artísticas mais vistas no mundo”, declarou Jender Lobato, presidente do Caprichoso, em nota.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO