Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
26 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Com informações do InfoGlobo

CRICIÚMA (SC) – O prefeito de Criciúma (SC), Clésio Salvaro (PSDB), anunciou na noite de quarta-feira, 25, a exoneração de um professor da rede municipal que exibiu o clipe da música “Etérea”, em que o cantor Criolo trata da temática LGBTQIAP+. O Ministério Público abriu investigação sobre o caso. Em vídeo publicado nas redes sociais, o tucano afirmou que o vídeo é “inapropriado” para exibição em sala de aula.

No vídeo ele ainda diz que “essa viadagem” não vai acontecer enquanto ele for prefeito:

— Nas escolas do município, enquanto eu estiver aqui de plantão, não vai acontecer esse tipo de atitude, essa viadagem na sala de aula nós não concordamos

Na sequência da gravação, Salvaro pede para que os pais entrem em contato com o município, caso se deparem com casos parecidos.

A música teria sido exibida para estudantes de 14 e 15 anos em uma sala do 9º ano.

Indicada ao 20ª Grammy Latino na categoria Melhor Canção em Língua Portuguesa, a canção “Etérea” fala em “quebrar padrões” e “abrir discussões”. O vídeo mostra pessoas de diversas orientações sexuais e com diferentes identidades de gênero fazendo performances de dança na frente de um fundo colorido.

Nas redes sociais, o músico chamou de “lamentável” a demissão do professor e ressaltou que o Brasil é o País que mais mata a população LGBTQIAP+.

— Mais uma vez o clipe e o documentário da música ‘Etérea’ abrem espaço para o debate na sociedade brasileira, após a lamentável demissão de um professor depois de exibir o projeto em sala. Tanto o clipe como o documentário, ambos sem nenhum tipo de restrição pelas diretrizes do Youtube, já foram exibidos em diversos festivais de cinema e instituições de arte, música e dança pelo mundo.

O Ministério Público de Santa Catarina (MP-SC) instaurou um procedimento nessa quinta-feira para apurar se a conduta do prefeito violou princípios da dignidade humana previstos na Constituição Federal e na legislação ordinária. O órgão também irá investigar se a demissão ocorreu dentro dos limites legais.

Em nota, o MP-SC informou que o promotor de Justiça Fred Anderson Vicente, da 5ª Promotoria de Justiça vai verificar se existem, no município, políticas públicas relacionadas ao público LGBTQIAP+.

“A notícia de fato, uma investigação preliminar de levantamento de informações, foi instaurada após uma representação (denúncia) de uma cidadã e a circulação de um vídeo nas redes sociais e na imprensa. Nele, o prefeito da cidade usa uma expressão preconceituosa para justificar administrativamente a exoneração de um professor. O ato pode configurar ilícitos que ainda serão apurados”, diz a nota do MP.

Procurada, a prefeitura de Criciúma não se manifestou.