Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
24 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml
Com informações do Infoglobo

CALIFÓRNIA – A agência espacial norte-americana (Nasa) lançou nesta quarta-feira, 24, uma nave espacial para testar o primeiro sistema de defesa planetário do mundo. O objetivo é verificar a tecnologia que poderia um dia desviar um asteroide perigoso de colidir com a Terra.

O foguete Falcon 9, da SpaceX, do multibilionário Elon Musk,  carrega a espaçonave Dart e decolou por volta das 3h20 desta madrugada da Base da Força Espacial de Vandenberg, na Califórnia. A decolagem foi exibida ao vivo na TV Nasa e na conta do Twitter da SpaceX.

A espaçonave vai se chocar com um objeto espacial chamado Dimorphos para ver o quanto sua velocidade e caminho podem ser alterados. Se um pedaço de detritos cósmicos com centenas de metros de largura colidisse com o planeta, poderia desencadear uma devastação em todo o continente.

“O Dart mudará apenas um pouquinho o período de órbita de Dimorphos. E realmente isso é tudo o que é necessário no caso de um asteroide ser descoberto com bastante antecedência”, disse Kelly Fast, do departamento de coordenação de defesa planetária da Nasa.

Nasa lançou primeira missão para desviar asteroide Foto: NASA / JHUAPL / STEVE GRIBBEN
Nasa lançou primeira missão para desviar asteroide (NASA / JHUAPL / STEVE GRIBBEN)

A missão Dart vai custar US$ 325 milhões e terá como alvo um par de asteroides que orbitam um ao outro – conhecido como binário. O maior dos dois objetos, chamado Didymos, mede cerca de 780m de diâmetro, enquanto o menor – Dimorphos – tem cerca de 160m de largura.

Após deixar a ação da gravidade da Terra, o Dart seguirá sua própria órbita ao redor do Sol. A previsão é que ele intercepte o binário em setembro de 2022.

A missão deverá colidir com Dimorphos a uma velocidade de cerca de 6,6 km/s. Isso deve alterar a velocidade do objeto em uma fração de milímetro por segundo – alterando sua órbita ao redor de Didymos. Apesar de ser uma mudança pequena, pode ser suficiente para desviar um objeto da rota de colisão com a Terra.

Mesmo que a missão não seja bem-sucedida, não há risco de choque com a Terra. Em contrapartida, caso realizada com êxito, poderia provocar a primeira chuva de meteoros criada artificialmente pelo homem.

A equipe por trás do Dart escolheu o sistema Didymos porque sua proximidade relativa à Terra e a configuração de asteroides duplos o tornam ideal para observar os resultados do impacto.