27 de janeiro de 2021

Gabriel Abreu – Da Revista Cenarium

MANAUS – A um mês para o Carnaval de Manaus, a União das Escolas de Samba do Estado do Amazonas (Uesam) se manifestou em nota oficial divulgada nesta quarta-feira, 13, pela suspensão dos desfiles das escolas de samba do Grupo de Acesso A e B, por conta do atual cenário de pandemia.

Nessa terça, 12, o Amazonas registrou 1.958 novos casos de Covid-19, totalizando 218.070 casos da doença, segundo o último boletim epidemiológico da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM). O número de mortes nas últimas 24 horas foi de 54 óbitos por Covid-19, sendo 27 ocorridos na segunda-feira, 11, e 27 encerrados por critérios clínicos, de imagem, clinicoepidemiológico ou laboratorial, elevando para 5.810 o total de mortes. Só nos cemitérios da capital houve o registro de 166, o maior número desde abril de 2020.

“Somos sabedores da importância que é o Carnaval na vida de muitos participantes, pois a movimentação faz gerar empregos e renda de milhares de famílias. Entretanto, o que nos conduz a essa decisão é, justamente, a preservação da vida. Essa nova onda de Covid-19 nos tirou muitos amigos, artistas, artesãos de forma abrupta o que, ao nosso ver, não justifica a realização de um grande evento repleto de alegria”, diz trecho da nota da Uesam.

Em outro trecho, a Uesam admite que a hora agora é de fechar as cortinas e declinar das verbas do governo estadual e municipal em prol da saúde, em prol do combate a essa pandemia ‘miserável’. “Jamais teríamos paz em nossos corações se não tomássemos essa atitude de respeito, solidariedade e humanidade com os que sucumbiram. Não seria certo”, afirmou a entidade que representa as escolas de samba do grupo de acesso A e B.

O Grupo de Acesso A e B é composto pelas Escolas de Samba: Presidente Vargas, Dragões do Imério, Tradição Leste, Mocidade Independente da Raiz, Ipixuna, Meninos Levados, Unidos da Cidade Nova, Gaviões do Parque, Leões do Barão de Açu,, Acadêmicos da Cidade Alta, Beija Flor do Norte, Sem Compromisso, Mocidade Independente do Coroado, Unidos do Coophasa, Imperio do Havaí, Império de Mauá, Legião Bambas e Balaku Blaku.

Grupo Especial

Pelo Grupo Especial das Escolas de Samba de Manaus, uma das principais agremiações, Reino Unido da Liberdade já se manifestou nas redes sociais pedindo o adiamento do desfile deste ano por conta da pandemia.

“Ao mesmo tempo, em solidariedade às famílias que sofreram perdas e que ainda sofrem com familiares internados e infectados, e por entendermos que o momento é de união no combate à essa terrível doença, reforçamos o coro de que não deve haver desfile este ano. Nesse sentido, o Reino Unido da Liberdade não vai discutir carnaval para 2021, e sim, somar esforços para ajudar a salvar vidas. Enquanto não houver a vacinação em massa da população, só nos resta continuar tomando os cuidados necessários, por nós e pelos outros”, afirma posicionamento.

O posicionamento da Escola de Samba foi postado nas redes sociais na tarde dessa terça-feira, 12.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.