Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
29 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Bruno Pacheco – Da Revista Cenarium

MANAUS – O nível do rio Negro, em Manaus, estabilizou neste sábado, 29, e manteve a cota de 29,95 metros, faltando apenas dois centímetros para atingir o recorde de 29,97 metros, registrado em 2012. Se passar a marca, será a maior em 118 anos da série histórica, ou seja, desde 1902, quando a cota da água começou a ser registrada.

A subida da água já impactou a rotina da população afetada pela cheia e mudou o fluxo do trânsito em algumas ruas de Manaus, fazendo ainda com que pontes, marombas e barreiras fossem construídas pela prefeitura e pelos moradores. São aproximadamente 24 mil pessoas em 15 bairros da capital prejudicados.

No Centro de Manaus, comerciantes são afetados pela enchente (Ricardo Oliveira/Revista Cenarium)

Segundo o Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU), cerca de 488 ônibus e mais de 40 mil usuários do transporte coletivo foram afetados diretamente pela enchente. Além disso, conforme a Câmara de Dirigentes Lojistas de Manaus (CDL-MANAUS), mais de 200 pontos comerciais do Centro da cidade foram prejudicados.

Com a cheia histórica, o Centro da capital tem atraído turistas para registrarem o momento. A praça do Relógio, na avenida Eduardo Ribeiro, e a ponte de madeira improvisada na avenida Floriano Peixoto são os principais pontos.

Interior

Além da capital, outras 58 das 62 cidades do Amazonas também foram afetadas pela enchente. Segundo a Secretaria Executiva de Ações de Proteção e Defesa Civil, o Estado tem 455.573 pessoas acometidas e 111.096 famílias atingidas pelo desastre.

Em Itacoatiara (a 270 quilômetros de Manaus), a cota fluviométrica do rio Amazonas atingiu a segunda maior da história, com 15,19 metros, mas segundo a Defesa Civil da cidade, a cota está estagnada há seis dias. O recorde foi registrado em 2009, quando o nível da água chegou a 16,04 metros.

Em Manacapuru, o rio Solimões já atinge 20,74m, de acordo com dados da Defesa Civil da cidade nessa sexta-feira, 28. O nível representa a segunda maior cheia da série histórica. Faltam apenas quatro centímetros para o nível da água atingir o recorde observado de 20,78m, de 2015.

Em Parintins (a 369 quilômetros de Manaus), a cheia do rio Amazonas atingiu, no dia 15 deste mês, a marca da maior enchente já registrada no município, quando o nível da água chegou a 9,38 metros. Segundo a Defesa Civil do município neste sábado, a cota já atinge 9,43 metros. Em relação à sexta-feira, 28, houve uma diminuição em 1 centímetro.