Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
22 de outubro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml
Gabriel Abreu e Victória Sales – Da Cenarium

MANAUS – Em meio à alta no preço dos combustíveis, abastecer com gasolina ficou mais caro para motoristas de aplicativos e taxistas. As duas categorias foram bastantes afetadas pela alta nos preços. Nesta quinta-feira, 16, o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), lançou a campanha “Faça a conta. Use GNV!” de incentivo aos motoristas para que convertam seus automóveis para rodarem no uso do gás natural veicular.

A Companhia de Gás do Amazonas (Cigás) irá conceder o benefício no valor de R$ 4 mil para taxistas, motoristas de aplicativo e frotistas que estejam em plena atividade. Ainda de acordo com Wilson Lima, estão sendo feitas algumas ações que são importantes para que se possa fomentar essa cadeia.

“Uma delas é o incentivo para que as pessoas possam transformar o seu veículo, que é a gasolina em gás, que a gente sabe que o gás é em média 40% mais barato do que a gasolina, e nós vamos, por meio da Cigás, pagar aproximadamente 90% dessa conversão para incentivar as pessoas de utilizarem o gás natural. Por outro lado, nós estamos conversando com alguns donos de postos de combustíveis que vão colocar mais unidades para fornecer esse gás natural. Nós tínhamos três postos e a gente vai, até o final do ano, ter sete postos”, explicou.

Wilson Lima no lançamento da campanha “Faça a conta. Use GNV!” (Gabriel Abreu/ Cenarium)

“Quando eu não tenho esse gás em quantidade suficiente, isso acaba não sendo atrativo para o investidor, agora, com a entrada da Eneva, e também com a compra de outros blocos e com excedente que está sendo produzido e vai ficar aqui na capital, isso faz com que outras empresas sejam estimuladas a criar essa infraestrutura para poder fazer o abastecimento de gás”, afirmou o governador.

Para participar, os interessados terão que converter o veículo com kit de 5ª geração ou superior a partir desta quinta-feira, 16, em oficina credenciada pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e regularizar a documentação do veículo junto ao Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM).

Após isso, o participante acessa o site www.usegnv.cigas-am.com.br para submeter os documentos para análise da Cigás. Se atender aos critérios, o motorista terá acesso a um cheque nominal no valor de R$ 4 mil. O regulamento completo da campanha está disponível no site www.usegnv.cigas-am.com.br

Seminário

Em março deste ano, o governador Wilson Lima sancionou o Marco Regulatório do Gás Natural no Amazonas. Nesta quinta-feira, 16, representantes do segmento apresentaram o cenário do mercado de gás natural e planos de expansão e consolidação das operações no Estado. O encontro ocorreu na Federação das Indústrias do Amazonas (Fieam), Centro de Manaus.

Linha Azul

Um dos temas discutido durante a reunião foi a chamada “Linha Azul”, que dará a possibilidade de ir de Manacapuru a Itacoatiara usando o GNV como combustível. Para isso, será necessário que postos de combustíveis instalados nesse percurso abasteçam com gás natural veicular.

O Governo do Amazonas já trabalha para garantir a qualidade das estradas ao longo de todo o trajeto. A duplicação da AM-10, que liga Manaus a Manacapuru, será concluída neste ano. As obras de modernização da AM-070, que liga a capital a Itacoatiara, já começaram. A previsão é que 100 quilômetros sejam entregues até o fim deste ano e que toda rodovia seja concluída no fim do ano que vem.

Além disto, no perímetro urbano de Manaus, a segunda e última etapa do Anel Sul – que tem início no Viaduto Lydia da Eira Corrêa na Avenida Torquato Tapajós e segue até o início da Avenida Santos Dumont – também será entregue neste ano.

Marco regulatório

Segundo o ranking da Associação dos Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres (Abrace), o marco regulatório do Amazonas é o terceiro melhor regramento do País em relação à exploração do mercado de gás. O novo marco legal foi aprovado pelos deputados estaduais e é de autoria do Poder Executivo.

Na pontuação estabelecida pelo Ranking Regulatório da associação, o Amazonas fica atrás, atualmente, apenas da Bahia e São Paulo. O ranking é atualizado periodicamente.