Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
29 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Marcela Leiros – Da Revista Cenarium

MANAUS – O requerimento para a instalação da CPI da Pandemia no Amazonas foi retirado na manhã desta quinta-feira, 8, após perder apoio da base oposicionista. O anúncio foi feito pelo deputado Wilker Barreto (Podemos) na tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam).

“Estamos retirando a CPI da Pandemia e conclamamos aos deputados e deputadas para assinar ainda hoje três assinaturas que faltam para a CPI da Asfixia”, disse Barreto.

A retirada acontece um dia após perder a assinatura do deputado Fausto Junior (MDB) nessa quarta-feira, 7. Também na Aleam, o deputado alegou que é impossível “ter duas CPIs ao mesmo tempo”, fazendo referência à tentativa de instauração das CPIs da Pandemia e Asfixia. São necessárias oito assinaturas para que a presidência da casa leia o requerimento e instale a comissão.

Antes da retirada da CPI da Pandemia, seis deputados estaduais haviam assinado o requerimento. Já a CPI da Asfixia conta com cinco assinaturas até esta quinta-feira.

Oposição

Declarando independência aos deputados de oposição na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), o parlamentar Péricles Nascimento (PSL) provocou um “racha” durante votação da CPI da Asfixia em sessão na casa legislativa nesta terça-feira, 6. Afirmando não estar ligado a Eduardo Braga (MDB) e Amazonino Mendes (Podemos) que supostamente seriam aliados ao deputado Dermilson Chagas, os parlamentares, incluindo o deputado Wilker Barreto (Podemos), protagonizaram cenas de desentendimentos.

“Eu não tenho que dar satisfação ao governador”, afirma Dermilson Chagas. Em resposta, o delegado declara: “Muito menos eu, você tem que dar ao Eduardo Braga, eu não tenho que dar nem ao Wilson, nem ao Eduardo Braga, nem ao Omar, essa é a nossa diferença. O senhor tem grupo político, eu sou totalmente independente”, ressaltou Péricles.