No interior de Rondônia, gestantes e lactantes sem comorbidades são vacinadas contra Covid-19

Iury Lima – da Revista Cenarium

VILHENA (RO) – Gestantes e mães que deram à luz nos últimos 45 dias e não possuem comorbidades começam a ser vacinadas contra a Covid-19, a partir da segunda-feira, 31, em Vilhena, a 705 quilômetros da capital Porto Velho. Além disso, pessoas de 18 a 39 anos, portadoras de comorbidades e portadoras de deficiências permanentes também receberão doses de imunizantes, em etapa que termina na próxima quarta-feira, 2 de junho.

A Secretaria Municipal de Saúde lembra que para que as pessoas com comorbidades recebam a vacina nesta sexta, devem apresentar laudo médico atualizado que comprove a condição de risco. Para este grupo, serão aplicadas doses da Oxford/AstraZeneca, assim como para os portadores de deficiências permanentes. Já as gestantes e lactantes com ou sem comorbidades, vão receber doses da Pfizer.

Pontos de vacina

Munidos com documentos pessoais e comprovação de fator de risco, o público de comorbidades deve comparecer das 8h às 12h ao anexo à Unidade Básica de Saúde Afonso Mansur, no bairro Jardim Eldorado, em Vilhena. Já a aplicação para deficientes permanentes acontece entre os dias 28 de maio, 1º e 2 de junho no prédio do Serviço Social do Comércio, no bairro Jardim América.

Gestantes e lactantes

Vilhena é um dos municípios a retomar a vacinação para gestantes e mulheres que acabaram de dar à luz, que não têm comorbidades. Para elas, além daquelas que já possuem alguma condição de risco, os servidores da saúde aplicarão doses da Pfizer. Este grupo será atendido entre quinta e sexta-feira da próxima semana, na Casa da Gestante, no bairro Jardim América, também das 8h às 12h.

Novas remessas

Na última quarta-feira, 26, Rondônia recebeu duas novas cargas de imunizantes, enviadas pelo Ministério da Saúde: 4.680 doses da Pfizer e 44.000 doses da AstraZeneca, totalizando 48.680 doses. 

Por conta do novo recebimento de Pfizer é que as gestantes e lactantes sem comorbidades poderão voltar a integrar o grupo prioritário, depois da suspensão da aplicação da AstraZeneca para este público, em decorrência do caso adverso grave registrado no Rio de Janeiro. Como esta vacina requer maior rigorosidade em seu transporte e armazenamento, uma força-tarefa foi montada entre todos os 26 municípios, do total de 52, atendidos pelo governo do Estado com o medicamento inglês.

Os novos carregamentos de Pfizer e AstraZeneca recebidos em Rondônia vão beneficiar 7 categorias. (Reprodução/Governo de Rondônia)

A diretora-geral da Agência Estadual de Vigilância em Saúde, Ana Flora Camargo Gerhardt, disse em coletiva de imprensa que os municípios tiveram que aderir a uma estratégia, pois é necessário que a vacina Pfizer, ao sair da Rede Estadual, leve um dia para chegar a todas as Regionais de Saúde.

“Mais um dia será necessário para as regionais distribuírem aos municípios. Após sair da Rede de Frio, a vacina Pfizer tem cinco dias para ser aplicada na população-alvo, ou seja, sobram apenas três dias para que os gestores façam a convocação e preparem o público para a vacinação”, explicou.

O Estado também informou que as doses da AstraZeneca ainda serão destinadas aos profissionais das Forças de Segurança e Salvamento, das Forças Armadas, além de trabalhadores portuários de transporte aéreo. 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO