Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
7 de maio de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

Priscilla Peixoto – Da Revista Cenarium

MANAUS – Um pedido de abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), protocolado nesta terça-feira, 27, deve apurar a morte de uma senhora idosa, de 71 anos, submetida ao tratamento de nebulização com hidroxicloroquina na cidade de Itacoatiara, a 270 quilômetros da capital amazonense. A Câmara Municipal, por meio da vereadora Andreia Mara (Avante), vai se basear nas denúncias veiculadas pela CENARIUM no último sábado, 24.

A parlamentar também afirma existir uma suspeita de que outros pacientes possam ter passado pelo mesmo tipo de tratamento. Mas, por conta de as unidades de Saúde não disponibilizarem o prontuário do paciente, se torna difícil a comprovação do acontecido. “É preciso apurar os tratamentos experimentais feitos no Hospital Regional José Mendes, em Itacoatiara, que é município com maior número de óbitos em todo interior do AM”, ressalta Andreia.

“Umas dez pessoas entraram em contato comigo querendo saber de que forma pode oficializar a denúncia, só que essas pessoas precisam do prontuário do paciente e estou orientando cada uma a ir em busca do prontuário no hospital. Mas acontece que no hospital eles são informados de que precisam de um prazo de 15 dias para ter acesso ao documento, sendo que o prontuário é na hora que fica pronto no hospital”, revela a vereadora.

Segundo Andreia Mara, pelo menos dez pessoas podem ter recebido o mesmo tratamento (Reprodução/Divugação)

Irregularidades

A vereadora contou ainda que vai acompanhar de perto todo o desenrolar voltado aos tratamentos que teriam sido realizados com hidroxicloroquina e também deve levantar questões relacionadas à Covid-19 no município de Itacoatiara. Além de averiguar também a utilização “irregular” do programa “Mais Médico” para atendimento de pacientes do município.

Relembre o caso

Na última sexta-feira, 13, a família de uma idosa de 71 anos (nome preservado a pedido da família), que morreu em decorrência de complicações da Covid-19, teve um familiar que entrou em contato com a REVISTA CENARIUM, para realizar uma denúncia após descobrir que ela recebeu um tratamento experimental de nebulização com hidroxicloroquina no município de Itacoatiara.

Leia também: No AM, idosa morre após médica prescrever nebulização com cloroquina para tratamento da Covid-19

Familiares e amigos alegaram que o medicamento, considerado ineficaz contra o novo coronavírus pela Organização Mundial de Saúde (OMS), foi usado sem a permissão deles. A idosa faleceu no dia 13 de março, mas o boletim de ocorrência só foi registrado dia 23 de abril.

A idosa de 71 anos foi submetida ao tratamento de nebulização com hidroxicloroquina em Itacoatiara (Reprodução/ Internet)

O tratamento com hidroxicloroquina foi realizado, enquanto a idosa estava internada na unidade de saúde do município. Segundo familiares, o quadro de saúde dela piorou após o tratamento ineficaz. Segundo a filha da idosa, a nebulização clandestina com hidroxicloroquina, era feita várias vezes ao dia.

Sem conhecimento

 “Quando estávamos no hospital, eles só diziam ‘está na hora da inalação’. Ela fazia duas ou três vezes por dia, mas eles [os médicos] nunca falaram com o que era, só falavam que tinha que fazer e que tinha que ser no Bibap [aparelho que funciona como um respirador mecânico no tratamento de doenças pulmonares]”, revelou a filha.

Na ocasião, a vereadora Andreia disse que acompanhou a família, quando a idosa foi internada no José Mendes. “Eu havia pedido para a filha solicitar transferência da idosa para Manaus. Ela alega que os médicos não quiseram. Tentou, tentou e no dia 10 conseguiu a transferência. A filha via a mãe toda roxa, me mandava vídeo e ficava apavorada”, contou a vereadora.

Inquérito

Além da CPI (se aprovada), um inquérito policial já foi aberto para investigar a morte da idosa. De acordo com o delegado titular da Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Itacoatiara, Lázaro Ramos, o prontuário médico da idosa já foi solicitado ao Hospital José Mendes, no município, para checar as informações. Após ouvir o depoimento da filha da vítima, o próximo passo será ouvir os profissionais de saúde que estiveram à frente do caso em Itacoatiara.                                                                                                                                                                              

Até a última sexta-feira, 23, o município de Itacoatiara somava o total 297 óbitos confirmados por Covid-19. Desse total, 198 foram registrados somente nos quatro primeiros meses do ano. O município, assim como a capital Manaus e algumas cidades do Estado, vivenciou a crise da Covid-19 nos meses de janeiro e fevereiro de 2021.

Prontuário médico da idosa mostra aplicação do medicamento na unidade de Saúde. (Reprodução/Arquivo Pessoal)

CPI

Para ser aceito o pedido da vereadora Andrea Mara, são necessárias apenas cinco assinaturas, ou seja, um terço dos vereadores da casa assinando favorável à solicitação. Vale lembrar que não é a primeira vez que se fala em CPI relacionada ao assunto Covid-19.

Em junho do ano passado, por conta de inúmeras denúncias da população contra a prefeitura de Itacoatiara, os vereadores da Câmara Municipal, aprovaram em Sessão Plenária da 18º Legislatura a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar possíveis irregularidades na Secretaria Municipal de Saúde, no uso dos recursos destinados para o combate à pandemia do novo coronavírus.