Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
26 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Priscilla Peixoto – Da Cenarium

MANAUS (AM) – Com o intuito de preservar o folclore e a cultura do Festival Folclórico de Parintins, o Ministério do Turismo investirá cerca de R$ 11 milhões na construção de um museu em homenagem ao patrimônio cultural do País. Os bumbás Garantido e Caprichoso terão um lugar para deixar registrada as memórias e histórias ocorridas ao longo dos festivais.

O anúncio do investimento ocorrido nesta semana foi assunto em destaque, principalmente, para os parintinenses e amantes da festa popular, como o doutor em Educação e pesquisador em festas populares Adan Silva. Na avaliação do estudioso e praticamente adotado pela ilha pelas constantes visitações e contribuições durante o período que antecede a festa, a construção do museu é essencial para preservar a identidade cultural do lugar.

“Um museu é guardião da história, das produções humanas. Fico feliz que finalmente esse momento tenha chegado”, celebra Adan, que aproveita o momento para criticar a demora da iniciativa perante à relevância do evento conhecido internacionalmente. “Estava mais que na hora de terem esses acervo, lamento esse atraso, mas celebro a importância que ele terá para a história”, diz o pesquisador.

“Promove reflexões”

O doutor em educação explica que os museus têm o papel de fomentar o diálogo e permite que as gerações futuras tenham acesso à informação com riquezas de detalhes que, por vezes, são encontradas em materiais expostos somente nesses espaços culturais. “Diante de um acervo você faz várias reflexões, complementa seus conhecimentos”, diz Adan.

Para a jornalista e parintinense Geisiane Nunes, a chegada do museu supre uma carência relacionada à festa. A parintinense acredita que o ponto de acervo ajudará a disseminar histórias e ser fonte de pesquisa sobre a história do festival.

“Parintins é carente de algo que faça conhecer um pouco mais dessa manifestação folclórica, ouvimos falar apenas no período que acontece a festa, mas depois cai um pouco no esquecimento. Com o museu, tanto os parintinense quanto os visitantes terão algo no ano todo, não sendo restrito apenas a um período. Isso faz com que as pessoas se aprofundam e conheçam a nossa cultura, nossa arte, nosso povo e a própria história dos bois.

O museu terá um espaço equivalente a 2 mil m² que comportará um público rotativo de 150 mil pessoas (Reprodução/Arnoldo Bruce)

O projeto

De acordo com informações repassadas pelo Ministério do Turismo, o projeto do museu terá um espaço equivalente a 2 mil m² que comportará um público rotativo de 150 mil pessoas. Além de áreas de exposições permanentes e temporárias, área para visitantes, praça de alimentação e lojas dos Bois Caprichoso e Garantido.

O lugar deve somar com a economia e o turismo em Parintins (distante 368 km de Manaus), sendo mais um atrativo para os visitantes e moradores da ilha. Em declaração sobre o assunto, ministro do Turismo, Gilson Machado, destacou a importância do lugar como ponto de conhecimento cultural e fomentação turística durante todo o ano.

“Sem sombra de dúvidas, permitirá a ampliação e visitação dos turistas na cidade de Parintins em qualquer época do ano”, afirmou Gilson.