‘O momento é de mudança de paradigma’, diz especialista em marketing digital

Carolina Givone – Da Revista Cenarium

MANAUS – A superação das empresas em meio à pandemia de Covid-19 foi um dos temas abordados na entrevista do especialista em Marketing Digital, Rodrigo Gadelha, à jornalista Arthemisa Gadelha, da Revista Cenarium. Em um bate papo, o especialista contou cases de sucesso e deu dicas para empresas que precisam se reinventar.

Arthemisa Gadelha: Quais foram os segmentos que cresceram em meio à crise?

Rodrigo Gadelha: “Existem setores que cresceram rapidamente, pois souberam se planejar para essa mudança de paradigma. No entanto, o consumidor brasileiro também foi obrigado a mudar de hábitos. Entre os segmentos que mais cresceram no Brasil e no mundo, foi o de comunicação, que por conta da pandemia, fez com que as pessoas precisassem ser atingidas pelas noticiais por meio digital. O entretenimento também está inserido nisso, pois os serviços de música online estão em alta. No Brasil um exemplo, é a cantora Marília Mendonça, que atingiu os maiores patamares de visualizações no YouTube com milhões de visualizações”.

AG: Quais são os outros setores que também cresceram economicamente?

RG: “Oficinas mecânicas, Pet Shops e demais serviços de entrega em domicilio. Empresas do segmento de saúde, restaurantes e distribuidora de bebidas também prosperaram. Algumas cresceram cerca de 150%, como em um comércio de Brasília que acompanhei. Isso está acontecendo, por que as pessoas estão pedindo direto do distribuidor e não no supermercado, essa movimentação fez com que esse distribuidor de começasse a vender seu estoque. Outros negócios que estão relacionados diretamente com produtos utilizados na pandemia, como produtores de álcool em gel e máscaras estão em alta, e empresas que estavam quebrando, começaram a produzir esses itens para se recuperar”.

AG: Você como especialista em marketing digital, daria quais dicas às empresas que estão paradas nesse momento?

RG: “Esse é um momento para entender o seu negócio e enxergar uma solução que possa estar dentro dele. Acompanhei um caso de um proprietário de restaurante, que ele não fazia delivery. Com o fechamento das portas, ele percebeu que precisava vender 40 marmitas por dia, para não precisar demitir ninguém. Dessa forma, ele observou que possui o contato de todos os clientes e mesmo sem delivery, mandou mensagem para todos, dizendo: ‘Para que eu não demita nenhum funcionário, mas preciso da ajuda de vocês para vender essas 40 marmitas por dia’, depois disso, ele cresceu, triplicou”.

RG: “Uma outra dica, que aconselhamos, para quem não tem conhecimento de marca digital é ‘Comece a fazer uma Data Base’, comece a fazer contatos de seus clientes e mande WhatsApp para todos. Outro caso desses, é sobre um pedido de socorro, que recebi de uma fábrica do interior de São Paulo. A dona havia investido 2 milhões de litros de chocolate e estava desesperada por que não conseguia escoar a produção. Sugeri que ela gravasse um vídeo contato a história e divulgasse para todo mundo, o resultado? Ela vendeu o estoque inteiro todo em três dias. Os clientes não sabem o que está acontecendo com você, então pequenos negócios ao invés de ficarem parados, tem que começar a ser pró ativos, agitar as redes sociais, entrar em contato e explicar a situação, e assim começar a construir uma relação de empatia com os consumidores”.

RG: “Tem empresas que não sabem trabalhar com tecnologia, então seria interessante a contratação de um social media, mas tudo depende muito do tipo de negócio, da habilidade de cada um. Por muitas vezes, essa pessoa que está na crise não tem ‘grana’ para contratar alguém, então ela vai ter que fazer por conta própria. Existem muitos empresários contratando um editor de vídeo, contratando social media, porque o que esse cara, ‘é o cara’, que está produzindo e construindo a demanda de vários segmentos de mercados. E para quem não tem condição que que eu digo mesmo, comece a produzir”.

AG: Talvez não seja do seu conhecimento, mas a Revista Cenarium nasceu no dia 15 de abril desse ano, em meio à Pandemia, gostaria que você comentasse sobre isso.

“Ainda bem que vocês nasceram no meio da pandemia, esse é o pior momento para as pessoas, mas a melhor para os negócios. Isso acontece porque as pessoas foram obrigadas a usar as pessoas ferramentas digitais. A transformação digital que estávamos prevendo para acontecer mais fortemente daqui a dois anos, aconteceu agora. Vocês têm um diferencial e entraram em um processo digital, devendo permanecer fazendo esse formato”.

AG: Michel Temer foi um case de sucesso seu, conte um pouco sobre como é estar à frente desse experimento.

“Muito do legado da presença digital do presidente Temer, foi fruto da nossa atuação. Nós unificamos as redes, o site e demais canais durante um ano e meio. Foi pouco tempo, mas foi a maior oportunidade da minha vida. Quem trabalha com Marketing Político sabe, quem não quer chegar ao topo da Presidência da República? Eu lembro que no fim do mandato dele, já existiam várias interações nas redes, das pessoas que aderiram ao ‘fica Temer’, um movimento criado por nós. Ele saiu de uma avaliação de cerca de 2% e finalizou com 18% de aceitação, o que para ele já foi ótimo, porque ele recebeu uma imagem bem negativa, tanto da esquerda e da direita e terminou de uma forma positiva”.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO