Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
28 de outubro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Da Revista Cenarium*

MANAUS – A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou nesta terça-feira, 28, que o novo coronavírus não tem um comportamento sazonal, como acontece com a influenza.

“As pessoas ainda estão pensando sobre estações do ano. O que todos precisamos ter na cabeça é que esse é um novo vírus e… esse está se comportando de forma diferente”, disse Margaret Harris durante briefing virtual em Genebra, fazendo um apelo à vigilância para que aplique medidas para conter a transmissão que está se espalhando em grandes aglomerações.

Ela também alertou contra pensar em termos de ondas de vírus, afirmando: “Será uma grande onda.” No Brasil, a média diária de mortes ainda está acima de 1.000. Atualmente, o país já passou dos 87,6 mil óbitos registrados oficialmente, segundo o Ministério da Saúde. Em todo o mundo, já são mais de 646 mil mortes.

Europa retoma restrições

Na Europa, países já se preparam para uma série de surtos da covid-19 pelo continente, impulsionados pelas férias de verão, o que motivou a fala da OMS. Na região, países começam a reimpor restrições de movimentação.

A pandemia levou a União Europeia à maior crise de sua história, e os países estão enfrentando dificuldades neste verão para encontrar o balanço entre liberar o turismo, vital para a economia em várias regiões, e evitar novos surtos de covid-19.

Na Espanha, por exemplo, país que já pagou um alto custo em vidas e prejuízos econômicos durante a pandemia, sofreu um novo revés: a operadora de turismo TUI cancelou todos os voos até 9 de agosto com destino a cidades espanholas.

A decisão foi uma reação ao anúncio do governo britânico, no fim de semana, de exigir que os viajantes que retornem da Espanha se submetam a duas semanas de quarentena obrigatória.

Há um temor na Europa de que a Espanha esteja mergulhando numa nova epidemia. “Já houve cancelamentos e espera-se mais”, disse Emilio Gallego, secretário-geral da associação de hotéis da Espanha.

“Ninguém virá aqui para uma semana de férias e depois passará 14 dias trancado em casa”.

Catalunha

Na segunda-feira, o governador da Catalunha —uma das áreas da Espanha mais atingidas pelo ressurgimento do coronavírus – disse que a situação já é semelhante à anterior ao confinamento nacional decretado em março.

“Estamos nos dez dias mais importantes do verão, e durante esse período veremos se somos capazes de resolver a situação através da solidariedade, cooperação e de um esforço coletivo”, disse Quim Torra. “A situação é crítica e, se não conseguirmos, teremos que retroceder.”

Cerca de 8 mil casos foram confirmados na Catalunha nos últimos 14 dias – quase metade das 16.410 infecções registradas em toda a Espanha no período.

Nesta terça-feira, o Ministério do Exterior alemão desaconselhou viagens turísticas não necessárias às regiões da Catalunha, Aragão e Navarra, no norte da Espanha, devido à alta das infecções e bloqueios locais.

Só no último fim de semana, foram 6.361 casos na Espanha, o que eleva o total de infecções no país para 278.782. Como comparação, quando a pandemia estava em seu auge, em 31 de março, a Espanha teve 9.222 casos em um dia.

(*) Com informações da Reuters e UOL