Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
10 de maio de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

This post is also available in (Post também disponível em): English (Inglês)

Com informações do Portal Geledés

EUROPA – Ativistas de 128 organizações de proteção a mulheres ligadas à ONU (Organização das Nações Unidas) lançaram um alerta para a comunidade internacional: há um grande risco de o mundo dar passos para trás em relação aos direitos das mulheres durante a pandemia de Covid-19. Por isso, afirmam, é preciso um esforço urgente para evitar que isso aconteça.

As entidades, concentradas na Europa e na Ásia, pedem que os governos garantam um diálogo eficaz com a sociedade civil para garantir que as necessidades da população feminina estejam no centro das políticas adotadas em resposta à pandemia.

Para os grupos, é preciso levantar dados e estatísticas sobre o impacto da crise sanitária com recorte de gênero, sabendo, assim, quais os maiores desafios para mulheres e facilitando a criação de políticas públicas específicas.

Pandemia

Entre os maiores problemas, adiantam, estão a dificuldade de acesso à Justiça, o aumento da carga de trabalho doméstico sem remuneração, as altas taxas de desemprego e queda de renda entre mulheres, uma vez que elas são maioria na área da economia informal.

“As organizações de mulheres e a sociedade civil em geral devem ser parte integrante dos esforços de resposta e recuperação da covid-19”, afirma Alia El-Yassir, diretora regional da ONU Mulheres para a Europa e Central Ásia.

“Desde o início da pandemia, elas estão na linha de frente, trabalhando dia e noite para atender às necessidades de todos os grupos de mulheres e meninas, homens e meninos. Eles sabem o que precisa ser feito e pedimos a todos os parceiros de desenvolvimento que considerem seriamente as soluções que oferecem para que possamos continuar a garantir os princípios de igualdade e justiça social”, diz.