Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
20 de outubro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Com informações da Polícia Federal

SANTARÉM (PA) – A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira, 16, em ação conjunta com a Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) e a Força Aérea Brasileira (FAB), a Operação Mundurukânia 2, que tem por objetivo instruir os inquéritos policiais instaurados para apurar as manifestações violentas e ataques contra os agentes de segurança pública que participaram da Operação Mundurukânia, bem como dos incêndios provocados nas residências das lideranças indígenas Munduruku.

Os atos hostis ocorreram entre 25 a 27 de maio, logo após a deflagração da fase anterior da Operação.

Durante os ataques, invasores incendiaram as casas de Maria Leusa, líder indígena Munduruku, e de sua mãe. (Reprodução/Redes sociais)

A Operação Mundurukânia 1 teve como objetivo combater a prática clandestina de garimpos nas terras indígenas Munduruku e Sai Cinza, no município de Jacareacanga (PA). Essa prática, além de provocar graves danos ao meio ambiente, devido ao uso de produtos químicos altamente nocivos, causando a poluição de rios e lençóis freáticos, também gera uma série de outros problemas sociais na região, como conflitos entre garimpeiros e indígenas.

Participam da ação de hoje 45 policiais federais e 30 integrantes da FNSP, além de militares da FAB, dando cumprimento a cinco mandados de busca e apreensão, além de seis mandados de prisão preventiva, expedidos pela Justiça Federal de Itaituba (PA).

PF apreendeu armas, munições e animais mantidos em cativeiro. (Reprodução/Polícia federal)

Os crimes investigados são de associação criminosa (art. 288 do CP), incêndio (art. 250 do CP), atentado contra a segurança de transporte marítimo, fluvial ou aéreo (art. 261 do CP) e coação no curso do processo (art. 344 do CP), além outros crimes que venham a ser descobertos ao longo da investigação.