Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
16 de setembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Alessandra Leite – Da Revista Cenarium

Com informações da FolhaPress

MANAUS – Na contramão da vacinação lenta em todo o Brasil, cujo público adulto sem comorbidades segue em uma espera cada vez mais angustiante pela tão sonhada vacina contra a Covid-19, o governador de São Paulo, João Doria, declarou, no começo da tarde desta quarta-feira (2), que prevê vacinar toda a população, acima de 18 anos no Estado, até o dia 31 de outubro.

A informação foi antecipada pelo próprio Doria, em seu perfil de rede social e divulgada em entrevista aos jornalistas no Palácio dos Bandeirantes, na zona Oeste da capital paulista.

A nova previsão dada pelo governador do Estado de São Paulo repercutiu entre os especialistas ouvidos pela REVISTA CENARIUM, que embora demonstrem graus diferentes de otimismo, são unânimes em dizer que a vacinação até 31 de outubro, tanto em São Paulo quanto no Brasil, não é algo factível.

Anteriormente, a data prevista para imunizar toda a população adulta do Estado era 31 de dezembro, mas Doria assegurou que será possível antecipar essa data em dois meses. A previsão considera a data estimada de aplicação da primeira dose.

Para a epidemiologista e ex-coordenadora do Programa Nacional de Imunizações- PNI, Carla Domingues, a julgar pelo cronograma do Ministério da Saúde, aberto à consulta pública no site https://localizasus.saude.gov.br/, a previsão não é factível. “A menos que São Paulo compre vacina por fora, dentro desse cronograma não é possível, a conta não fecha. Todos os dias se aplicam menos doses do que o planejado. Todos os dias têm atraso. Para que todos estivessem vacinados em outubro, teria que aplicar a vacina em todos até agosto, com a primeira dose”, rechaça a especialista.

Domingues acredita que é possível vacinar essa população acima dos 18 anos até o final deste ano, com a primeira dose. “Se continuar nesse ritmo, será assim. Todo mês tem atraso na distribuição das doses. Em nenhum momento superamos a meta”, lamentou.

O cronograma atualizado de vacinação em São Paulo prevê a vacinação por faixas etárias após o término da vacinação dos grupos prioritários previstos no PNI – Programa Nacional de Imunizações.

Segue o calendário de São Paulo:

de 1 a 20 de julho:  pessoas de 55 a 59 anos
de 2 a 16 de agosto: pessoas de 50 a 54 anos
a partir de 17 de agosto: pessoas de 45 a 49 anos
de 1˚ a 10 de setembro: pessoas de 40 a 44 anos
de 11 a 20 de setembro: pessoas de 35 a 39 anos
de 21 a 30 de setembro: pessoas de 30 a 34 anos
de 1˚ a 10 de outubro: pessoas de 25 a 29 anos
de 11 a 31 de outubro: pessoas de 24 a 18 anos


O governo pondera, no entanto, que a vacinação está condicionada à disponibilização de doses pelo Ministério da Saúde por meio do PNI.

Uma nova remessa do IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo), vinda da China, está prevista para chegar no próximo dia 28 de junho, com quantidade suficiente para a produção de mais de 10 milhões de doses da Coronavac.
“Estamos projetando com base nas previsões do Ministério da Saúde. Isso pode retirar ou adicionar novas doses, de acordo com as entregas. Nós trabalhamos com uma redução, justamente considerando que podem haver atrasos nas entregas, e mesmo assim vimos que foi possível antecipar a vacinação de toda a população adulta até o final de outubro”, afirmou Regiane de Paula, coordenadora do Plano Estadual de Imunizações (PEI).

Pessoas com comorbidades

A promessa é que até o dia 7 de junho seja concluída a imunização das pessoas com comorbidades. A vacinação, de acordo com a coordenadora, vai incluir todas as pessoas com comorbidades ou beneficiários do programa de deficiência permanente (BBC) com mais de 18 anos.

Regiane de Paula também afirmou que o governo prevê o início da vacinação de todos os profissionais da educação com idades de 45 e 46 anos já a partir da próxima quarta-feira (9). Aproximadamente 80 mil pessoas devem ser incluídas nessa etapa da imunização.

Vacinação em adolescentes

Já o secretário estadual de Educação, Rossieli Soares, disse ainda que foi apresentada a documentação necessária para autorizar a utilização das vacinas contra Covid-19 nos adolescentes de 12 a 15 anos, na última segunda-feira (31), à Anvisa. Atualmente, a única vacina aprovada para uso em adolescentes é a da Pfizer, cujo registro autoriza o uso em toda a população com 16 anos ou mais.

O Estado de São Paulo tem uma população de 44.873.187 pessoas, de acordo com a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade), dos quais cerca de 80% é a população maior de 18 anos, ou quase 36 milhões de pessoas. Até a última terça-feira (1º), foram aplicadas 17.577.126 doses em todo o Estado, somando-se primeira e segunda dose.

Vantagem brasileira em produção do IFA

Em entrevista por telefone na noite desta quarta-feira, 2, à REVISTA CENARIUM, o médico infectologista e curador do HubCovid – plataforma de apoio no enfrentamento da Covid-19, André Giglio Bueno, ponderou as informações repassadas pelo Governo de São Paulo e afirmou que, “se São Paulo conseguir, é bem provável que o resto do País também consiga”.

“A explicação dada por eles para esta previsão é a de que a estimativa é baseada no cronograma de entrega, disponível no Ministério da Saúde, o qual costuma ter mudanças. Tomando essa previsão como verdade, se essas entregas de vacina realmente ocorrerem, se São Paulo conseguir, o País todo consegue fazer isso”, analisa.

Bueno acredita que, como os municípios estão habituados a fazer campanha de vacinação, a capacidade de aplicação será eficaz. “Além disso, hoje o Brasil tem a vantagem de ter produção local dos insumos. Com a transferência de tecnologia, começa a produzir ainda este mês”, disse, referindo-se à produção do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA), pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). “Uma parte da produção está garantida. A outra depende das compras das empresas de outros países e como nós atrasamos, ficamos para o final da fila”, ressaltou, recordando as negativas do governo brasileiro em relação às compras de vacinas ainda no ano passado.

Um tanto otimista, mas sem perder de vista a realidade, Bueno acredita que, se o cronograma atual for cumprido e as entregas forem concretizadas, a previsão para dezembro pode se confirmar. “Já para outubro não estou tão otimista, com tantas incertezas, a chegada só agora do IFA, atrasos, produção parada”, ponderou.

População brasileira é de 231.158.750, de acordo com atualização do IBGE, em tempo real, até as 19h desta quarta (2)

O HubCovid

Plataforma HubCovid oferta cursos, vídeos e demais informações sobre a Covid-19

Criado para fazer frente à crescente onda de Fake News e informações sem embasamento científico durante a pandemia, o projeto HubCovid é uma plataforma que reúne e compartilha conhecimento em linguagem fácil e acessível, para atualização e apoio aos gestores públicos, profissionais da saúde e a população brasileira em geral.

O HubCovid integra ações de formação, gestão e comunicação com foco na vigilância em saúde e nas equipes de atenção primária, e sintonia com outras estratégias do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).

O intuito da iniciativa é contribuir com um número expressivo de trabalhadores e gestores de saúde, das diversas localidades brasileiras.