Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
24 de julho de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Priscilla Peixoto e Victória Sales– Da Revista Cenarium

MANAUS – No dia de 24 de junho é celebrado o “Dia de São João Batista” após a celebração oficial de Santo Antônio no último 13, o dia voltado a São João dá continuidade às festividades juninas. No Brasil, São João integra o time dos santos mais populares, conhecido como o “Santo festeiro e do batismo”.

Fogueiras, festas, balões e guloseimas são tradições deste período do ano, especialmente nesta data em que, ao contrário da maioria, é festejado o dia do nascimento e não da morte do santo. A tradição da fogueira, inclusive, vem de acordo com relatos passados pelos fiéis da igreja católica, por conta da mãe de João ter erguido um mastro e ascendido uma fogueira para que a prima Maria soubesse que estava prestes a dar a luz a João e precisaria de ajuda.

Há quem diga que Isabel seria estéril, porém, a vinda de João simbolizaria um novo tempo para a vinda de Jesus. Desde então a tradição de acender fogueiras passou por gerações até as atuais. Quando adulto, o filho de Isabel e Zacarias, nascido na Judeia no ano 2 a.C., viveu para fazer pregações, e conquistar pessoas a se batizarem, por isso também a associação de João Batista ao símbolo do Cordeiro.

João foi quem anunciou a vinda do Cordeiro de Deus (Jesus) e responsável por batizá-lo nas águas do Rio Jordão quando adulto. Na Bíblia em Mateus 3:14, é possível ler o seguinte : “Ao se encontrar com Jesus, João diz: “Eu é que preciso ser batizado por ti, e tu vens a mim?”. Porém, Jesus o convence a batizá-lo mesmo assim. Na cena batismal, após Jesus emergir da água, o céu se abre e uma “voz divina” diz: “Tu és o meu Filho dileto, em ti me agrado“, consta o livro sagrado.

Origem e Sincretismo

De acordo com uma entrevista cedida ao site UOL, a doutora em ciências da religião pela PUC-SP, mestre em história pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) Valéria Rocha Torres, são comemorações pagãs, mas não há estabelecer historicamente de forma certeira como começou.

“Por volta do século 12 ou 13, o catolicismo se apropria e insere o tempo litúrgico nessas festas. As Festas Juninas são bem emblemáticas porque trazem essa alegria da devoção. A colheita é vida, então, a Festa Junina traz isso”, explica a doutora e mestre em história.

Segundo o Pe. Martin Laumann, a igreja sublinha a importância única que teve o precursor para a missão de Jesus. ” Dos nascidos de mulher, ninguém é maior que João”, diz o próprio Jesus. Martin afirma ainda que o Evangelho de hoje nos convida a valorizar os pequenos fatos da vida com o nascimento de uma criança. “O povo popularizou São João no folclore”, disse.

Para o pai de santo, Jhonatas Moreno, dentro do sincretismo religioso, São João Batista é considerado como se fosse o orixá Xangô, é a forma de representar a justiça, o senhor dos trovões, o senhor do fogo, o senhor da rocha. “Tudo que é pela justiça, é regido pelo orixá xangô. Como a cultura africana, as religiões de matrizes africanas têm várias etnias, xangô vai ter outras denominações, quando se fala de xangô, nós estamos falando do orixá que é remanescente do povo nagô, do povo iurubá”, disse.

Oração de São João

Ó, glorioso São João Batista, príncipe dos profetas, precursor do divino redentor, primogênito da graça de Jesus e da intercessão de sua santíssima mãe, que fostes grande diante do Senhor, pelos estupendos dons da graça de que fostes maravilhosamente enriquecido desde o ceio materno, e por vossas admiráveis virtudes, alcançai-me de Jesus, ardentemente vos suplico, que me dê a graça de o amar e servir com extremado afeto e dedicação até a morte.

Alcançai-me também, meu excelso protetor, singular devoção a Virgem Maria Santíssima, que por amor de vós foi com pressa à casa de vossa mãe Isabel, para serdes livre do pecado original e cheio dos dons do Espírito Santo.Se me conseguires estas duas graças, como muito espero de vossa grande bondade e poderoso valimento, estou certa de que, amando até a morte a Jesus e a Maria, salvarei minha alma e no céu convosco e com todos os anjos e santos amarei e louvarei a Jesus e a Maria entre gozos e delícias eternas. Amém”