Os oportunistas em época de pandemia

Marco Aurélio Choy

Vivemos a maior tragédia da nossa geração, trazendo contaminação e morte de pessoas próximas, sem nenhuma perspectiva de uma vacina de cura, movimento que marca a história da humanidade e que modificará o nosso chamado processo civilizatório.

Nesses momentos de crise mundial, observam-se comportamentos distintos: de um lado, encontramos o melhor a humanidade – a solidariedade; do outro, o egoísmo expresso nas intenções de lucrar, de ganhar visibilidade, de alavancar, politicamente, carreiras pouco sucedidas. Assim funciona a humanidade e suas vicissitudes.

De um lado temos o empresário que vende bens de uso, absolutamente, necessários em tempos de pandemia como álcool em gel, mascaras e luvas e observam no surto de corona vírus uma oportunidade, não de prestar um importante serviço para a sociedade, mas uma oportunidade de lucrar, aumentando os preços sem medida. De outro lado, temos empresários que, mesmo preocupados com a grande recessão que atinge o país, mostram-se solidários, doando lanches para os valorosos profissionais de saúde, os super-heróis da vida real.

Vi certo dia um político local que apresentou proposta de redução dos salários de Vereadores, mesmo tendo conhecimento jurídico da impossibilidade de apreciação pelas limitações Constitucionais, mas o fez com o viés de promoção pessoal, afinal, no papel cabe qualquer coisa, e o papel mais bonito é posar de forma positiva para a opinião pública.

Mais fácil que a autopromoção pessoal é pegar parte do seu salário e doar, por exemplo, para a Universidade do Estado do Amazonas, que faz um bonito trabalho de confecção de EPIs para os profissionais de saúde. Não é preciso lei para isso, nem dará a repercussão de promoção pessoal que se esperava, mas é para isso que se exerce um mandato?

De qualquer forma, vivemos tempos difíceis, tempos de união, tempos de críticas construtivas, sem politização da saúde e da vida, e com o respeito as estruturas de controle do Estado. Que saiamos melhores que entramos nesta pandemia.

* Marco Aurélio Choy é Presidente da OAB/Amazonas

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO