17 de janeiro de 2021

Não é que este termo virou moda?

É o pai ou a mãe que só assume responsabilidade nenhuma em relação ao filho, mas quando o busca de 15 em 15 dias todo arrumadinho, cheiroso, bem vestido, cabelo e unhas cortadas adora exibi-lo nas redes sociais.

Apresenta-se com o filho como se fosse o pai/mãe mais presente e dedicado do mundo!

Como se estivesse sempre junto, preocupado com as atividades escolares, com a saúde e todas as demais necessidades que uma criança e adolescente possuem.

São os posts mais curtidos e comentados: “Parabéns, que filho lindo! Que amizade linda entre vocês…”

Pena que é tudo aparência.

O pai/mãe não participa de nada. Só busca as crianças de 15 em 15 dias e não se preocupa com nada em relação a vida deles. Afinal, moram com a mãe e não é dever dele…

E ainda falam para os amigos que os filhos são maravilhosos e não dão trabalho algum!

Sim, podem ser maravilhosos, mas não há uma única criança ou adolescente na face da terra que não dê trabalho.

Dão trabalho porque não tem autonomia e não tem independência.

Até uma certa idade tem que acompanhar tudo da escola, acompanhar a saúde médica, odontológica e psicológica,  levar para cortar cabelo, para consultas médica, odontológicas, em festinhas, em casa de avós, primos e tios, aulas particulares, esporte, música, para encontrar os amiguinhos no shopping,  praia, cinema… UFA!

Poderia fazer mil linhas, mas vai ficar cansativo.

Mas para o pai/mãe de rede social, realmente, busca no sábado de manhã e devolve no domingo à noite (quando não tem compromisso mais importante), almoçam em um restaurante, depois vão para casa para ele descansar, assistem a um filme a noite, e no outro dia, inventa qualquer coisa e devolve para a residência das crianças. Ah, quando não devolve mais cedo porque tem um compromisso!

E tal conceito aplica-se à maternidade também, por óbvio.

No entanto, em pleno 2020, vemos que a regra ainda é que os filhos residam com as mães e os pais vejam as crianças de 15 em 15 dias. As outras formas ainda são exceção.

Quando você ouvir algum pai ou mãe falando que  as crianças não dão trabalho algum… já pode identificar: trata-se de mãe ou pai de rede social.

Um novo conceito de paternidade /maternidade, criação pós redes sociais.

Mais essa!   Flávia Oleare é advogada cível especialista em Direito de Família e Sucessões  e membro da Comissão de Direito e Família e Sucessões e da de Direito de Idosos da OAB/ES. Sócia do escritório Oleare e Torezani Advocacia e Consultoria (www.oleareetorezani.com.br), contato: [email protected]

(*) Flávia Oleare é advogada civilista, especialista em direito de família e sucessões. É membro da Comissão de Direito de Família e Sucessóes e da Comissão de Idosos da OAB. Sócia do escritório Oleare e Torezani Advocacia e Consultoria.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.