Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
24 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml
Gabriella Lira – Da Cenarium

MANAUS – No quarto episódio do Programa ‘Papo Político’, que foi ao ar neste sábado, 23, na TV Cenarium, as jornalistas Liliane Araújo, Paula Litaiff e a defensora pública do Estado do Amazonas Carol Braz debateram sobre os bastidores da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 e o parecer final do relatório do senador Renan Calheiros (MDB-AL). Durante o bate-papo, as âncoras do programa falaram sobre os impactos políticos do resultado final da CPI.

O objetivo da comissão foi discutir as ações do Governo Bolsonaro no enfrentamento da pandemia em um cenário que o Brasil ocupa, o segundo lugar mundial em número de mortos, com mais de 600 mil mortes. A jornalista e diretora-executiva da Revista Cenarium, Paula Litaiff, acredita, baseando-se nas conclusões do relatório final, que houve omissão do governo federal no enfrentamento da pandemia da Covid-19.

Leia também: Programa ‘Papo Político’: União Brasil e os reflexos políticos para Amazônia

“O grande problema é que na segunda onda da pandemia, logo no início, foi defendida uma tese de imunidade de rebanho por um gabinete paralelo com pesquisadores sem muitos dados e, dentro dessa tese, o presidente defendia o não uso de máscaras. Havia também um interesse econômico da indústria farmacêutica. Isso tudo piorou a situação das pessoas com coronavírus no Brasil”, ressaltou Litaiff no programa deste sábado.

Pontos do relatório

Os principais focos da CPI foram as alegações de que o Governo Bolsonaro teria sido contrário às medidas sanitárias como o distanciamento social e a utilização de máscara facial. O governo também foi acusado de atraso na compra de vacinas, além da divulgação e investimento de dinheiro público em tratamentos sem eficácia comprovada, como a compra e defesa do uso de medicamentos como hidroxicloroquina e ivermectina para o tratamento da Covid-19.

Como defensora pública, Carol Braz explica que a função da CPI é pontuar os fatos ocorridos, e não especificar crimes, e quais serão os próximos trâmites do relatório final.

Leia também: CPI da Covid: relatório final pede indiciamento de Bolsonaro por nove crimes

“Uma coisa interessante que a gente percebe é que foram especificados crimes no relatório e não é função da CPI já trazer crime, precisa trazer os fatos e a gente espera que realmente eles estejam muito bem explicados para que, quando chegue no Ministério Público Federal, essas condutas possam ser realmente punidas. Ainda estamos no meio do processo, esse relatório do Renan Calheiros vai ser votado pelos senadores, aí sim será enviado ao Ministério Público e também ao Tribunal Penal Internacional”, explica Braz.

Povos indígenas

O relatório também pontua ações do governo federal, mais especificamente em relação aos indígenas, e a mediadora do ‘Papo Político’, Liliane Araújo, destaca que os povos originários foram os que mais sofreram com a falta de atendimento do governo.

“Essa questão que a Carol pontuou, do Tribunal Penal Internacional, é importante, porque, quando não há uma tipificação na nossa legislação, a gente tem que recorrer a este tribunal para avaliar esses crimes que estão sendo imputados. Os povos indígenas foram os que mais sofreram e ainda continuam sofrendo”, finalizou Araújo, que também é jornalista. 

Assista à íntegra do programa no canal do Youtube da TV Cenarium.