8 de março de 2021

Com informações do UOL

MANAUS – O Ministério da Saúde informou aos estados a divisão, em novo lote de vacinas, de uma reserva estratégica de imunizantes para estados da região Norte, que enfrentam a pior face da crise de coronavírus no país, com falta de oxigênio e UTIs perto do colapso.

O chamado “Fundo Estratégico” atenderá a um adicional de 69 mil idosos no Amazonas, Tocantins, Rondônia e Amapá, de acordo com notas produzidas na noite desta sexta-feira, 5, pela coordenação-geral do Programa Nacional de Imunizações da pasta. No entanto, a lista excluiu o Pará. Municípios do oeste do estado tiveram uma cota extra de imunizantes na primeira concepção deste tipo de reserva, idealizada pelos governadores em 22 de janeiro.

Em entrevista ao UOL, o governador do Pará, Hélder Barbalho (MDB) disse que, nesse novo lote, o governo lhe prometeu um percentual de 15% dessas doses extras, mas foi “surpreendido” pela pasta da Saúde. Nesta sexta-feira, 5, ele cobrou o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, a explicar a divisão de lotes de vacinas do Fundo Estratégico para alguns estados da região Norte.

Ofício  

Em um ofício, ele pediu que o estado receba uma parcela adicional de imunizantes contra a covid-19. Procurado pela reportagem, o Ministério disse que, devido ao “quantitativo total de doses escalonadas recebidas pelo Ministério da Saúde, a ação está sendo implementada gradativamente”.

A pasta destacou que o estado foi contemplado em fase anterior. “O Pará recebeu, na Etapa 3 Fase 1 (906.600 mil doses distribuídas), com previsão no fundo estratégico, um total de 3.250 doses, concomitantemente à distribuição igualitária prevista para todo o País”, informou a assessoria

Cota prevê 145 mil doses para idosos

O Ministério da Saúde informou que o “Fundo Estratégico” será aplicado de dentro de um lote de 2,9 milhões de vacinas da CoronaVac. Para isso, serão destinadas cerca de 145 mil doses para atender 69 mil brasileiros. Serão quase 40 mil idosos com idade entre 70 e 74 anos no Amazonas e 14 mil idosos com mais de 80 anos no Tocantins.

Quase 11 mil idosos com mais de 80 em Rondônia também fazem parte dos beneficiários do fundo. Há ainda 4 mil pessoas com mais de 80 anos no Amapá. No ofício, Hélder Barbalho pediu que Pazuello o informe, “em caráter emergencial”, qual foi o critério técnico usado nesta divisão.

“A segunda onda desta pandemia, com a nova cepa do vírus, já atinge diversos municípios de nosso estado, os quais fazem fronteira com o Amazonas, inclusive, já tendo sido identificada a nova variante do vírus na capital, Belém”, justificou o governador no ofício.

Compromisso quebrado

Na entrevista ao UOL, ele afirmou que um compromisso foi quebrado. “Era para o estado do Amazonas e ficaria para os estados do entorno, que estão sofrendo a segunda onda. Para minha surpresa, depois de ter sido informado de que nós receberíamos, nesta nova leva, um percentual de 15%, ontem à noite foi publicada essa tabela em que o Pará não recebe nada”, criticou.

Barbalho acrescentou que, com mais de 8 milhões de habitantes e crise aguda de covid-19, principalmente em municípios do oeste do estado, o Pará não receberá nenhuma dose do Fundo. Já o Tocantins, observou, tem 1,5 milhão de habitantes e receberá doses extras para imunizar mais 14 mil, volume maior que o destinado a Rondônia.

O governador ainda destacou que o Acre está em “colapso” e não receberá dose extra alguma, assim como Roraima. “Eu não estou vendo nenhuma pressão no sistema de saúde do Tocantins”, afirmou Barbalho. “Ainda não vi nenhuma manifestação de que esteja a nova cepa no Tocantins. Fiquei absolutamente surpreso com essa novidade”, ironizou.

Notas informativas

As notas informativas do Ministério da Saúde dizem que o Fundo Estratégico foi definido “visando contemplar o cenário epidemiológico atual”. Esse tipo de documento é publicado regularmente pelo governo. As notas servem para atualizar os cronogramas de distribuição de imunizantes e fornecer orientações técnicas para a continuidade da vacinação.

“Esclarecemos que, dado o cenário epidemiológico do País, foi pactuada a importância de manter-se um Fundo Estratégico de 5% do total de doses de cada uma das pautas de distribuição das vacinas covid-19 para os estados da Região Norte”, diz o Ministério da Saúde.

O lote de 2,9 milhões de vacinas mencionado nos documentos atenderá 1,3 milhão de pessoas, pois são necessárias duas doses dos imunizantes. A segunda é aplicada num intervalo de até quatro semanas. Hoje, o governo anunciou que investiu R$ 6 bilhões na contratação de 254 milhões de doses de imunizantes.

Como são necessárias duas aplicações na maioria dos casos, novos contratos precisam ser assinados para garantir a vacinação de toda a população de 210 milhões de brasileiros.