Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
6 de maio de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

Com informações do O Globo

MANAUS – O secretário de Atenção Primária à Saúde, Raphael Câmara Medeiros, afirmou nesta sexta-feira, 16, que o Ministério da Saúde considera incluir todas as grávidas e puérperas na campanha nacional de vacinação contra a Covid-19. Pelas regras atuais, gestantes que apresentem comorbidades estão no plano de vacinação.

Segundo Medeiros, “praticamente todos os especialistas em ginecologia obstetrícia tem uma sugestão e pedem com bastante força que todas gestantes entrem nesta recomendação, já estamos em tratativas avançadas”. Entretanto, o secretário ressalva que “por definição, a gestação é um período trombótico”, ou seja, que favorece a formação de coágulos sanguíneos e a obstrução de vasos sanguíneos.

“Nós temos que ter muito cuidado porque algumas vacinas, mesmo de forma muito rara, estão mostrando alguns efeitos colaterais neste sentido e a gente sabe que com grávida, além de se preocupar com ela, tem de se preocupar com o bebê também”, afirmou.

“Qualquer recomendação para grávidas tem de ser feita com muito cuidado e técnica para não errar. Não podemos nunca esquecer o caso da talidomida na década de 50”, completou o secretário mencionando medicamento sedativo prescrito com frequência durante meados do século passado, que, entre os efeitos colaterais, apresentava a má-formação de fetos. Medeiros participou nesta sexta de entrevista coletiva para anunciar a destinação de R$ 248 milhões em ações para grávidas no País.

A presença do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, havia sido anunciada para o evento, porém o ministro não compareceu. Na quinta-feira, 15, o Senado aprovou projeto que prevê o trabalho remoto para as funcionárias gestantes durante a pandemia de Covid-19. O projeto segue para a sanção presidencial.