Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
17 de abril de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

Jennifer Silva – Da Revista Cenarium

MANAUS – A pesquisa CovacManaus, com a vacina CoronaVac, apresentou 50% de eficácia contra a variante P.1 do novo coronavírus, encontrada em dezembro no Amazonas e que se propagou em todo o País desde então. A informação foi dada pelo Governo do Amazonas nesta quarta-feira, 7, durante live. Os estudos realizados inicialmente em trabalhadores de saúde mostram os mesmos números do estudo realizado com o imunizante pelo Instituto Butantan, em São Paulo.

“Inicialmente, eu digo que é importante a realização desses estudos, e digo que espero que continuem sendo realizados. Novas variantes estão surgindo, ouço a notícia de uma nova variante em Belo Horizonte. Nosso estudo (CovacManaus) é o único no mundo que está sendo verificado a efetividade em profissionais da Saúde no contexto da nova variante P.1 em relação às vacinas, então é um estudo que está mostrando isso. A gente escolheu profissionais da Saúde, que é um grupo de alta disposição, o Butatan também justificou o estudo para fazer isso, e todo esse estudo está disponível online para acesso de todos”, explicou Júlio Croda, médico infectologista da Fundação Oswaldo Cruz – Instituto Leônidas e Maria Deane (Fiocruz).

O infectologista explica que a capital amazonense é o local ideal para a realização da pesquisa de efetividade da CoronaVac. “Esse projeto surgiu no âmbito da necessidade de avaliar se a vacina continua funcionando ou não, com uma nova variante que é brasileira, mas que surgiu aqui no Amazonas. Aqui em Manaus era o local ideial para se avaliar se a vacina continua ou não funcionando para essa nova variante. Também precisamos gerar dados para as vacinas da AstraZeneca e Oxford”, afirmou Júlio.

Júlio Croda, médico infectologista da Fundação Oswaldo Cruz – Instituto Leônidas e Maria Deane (Fiocruz).
(FVS-AM) (Reprodução/ Facebook)

Os estudos realizados da CovacManaus mostram que para cada pessoa a efetividade da vacina contra a doença para quem tomou as duas doses do imunizante chega a 50%, percentual este que se iguala ao da pesquisa realizada pelo Instituto Butantan. A Fiocruz informou que mais de 67 mil profissionais da Saúde participaram do estudo CovacManaus.

“É um passo a mais da ciência para trazer algumas respostas importantes, e eu gostaria de reforçar o papel da Fundação no sentindo de buscar evidências, buscar respostas frente a esses desafios no enfrentamento da pandemia da Covid-19 aqui no Amazonas. A validação dos dados da vacina, nos traz e nos renova a esperança de dias melhores. Isso no Dia Mundial da Saúde traz para a população amazonense, brasileira e mundial mais segurança. A gente dá um salto enorme no ponto de vista científico, a partir da ciência serão trazidos aqui pela fundação”, declarou Cristiano Fernandes, diretor-presidente da Fundação de Vigilância Sanitárias do Amazonas (FVS-AM).

Cristiano Fernandes, diretor-presidente da Fundação de Vigilância Sanitária do Amazonas (FVS-AM)
(Reprodução/ Facebook)

O consultor da Organização Pan-Americana de Saúde, Rodrigo Said, explica a importância do estudo CovacManaus, de maneira internacional, e para os países da América do Sul. “O resultado que foi apresentado pelo doutor Júlio traz dados fundamentais para todos os países das Américas, que estão utilizando a vacina da CoronaVac, e isso demonstra, de acordo ainda com estudos preliminares, a efetividade dessa vacina na proteção da transmissão dessa doença, né, esse resultado que a gente precisa comemorar bastante está sendo lançado aí no Dia Mundial da Saúde”, esclareceu.

Rodrigo Said, consultor da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) (Reprodução/ Facebook)

Marcellus Campêlo, secretário Estadual de Saúde, comemorou os resultados da pesquisa e explicou que os dados são mais importantes ainda para a Saúde do Estado que enfrentou colapso no início do ano com o pico da segunda onda da Covid-19. “A notícia que recebemos hoje veio nos dar um alento, porque tivemos 50% de efetividade da vacinação. E isso nos dá um alento na preparação de rede para essa eventual 3ª onda”, garantiu.

Marcellus Campêlo, secretário estadual de Saúde (SES-AM) (Reprodução/ Facebook)

Sobre a possibilidade de uma 3ª onda da Covid-19 no Estado, Campêlo garantiu que o Estado está preparado. “Estamos preparados, estamos aprimorando nosso plano em todos os aspectos. O resultado dessa pesquisa, certamente nos traz um alento de que as estruturas hoje que o governo possui e foram sendo fortalecidas nos últimos meses. E com a determinação do governador Wilson Lima, estamos mais preparados com maior quantidade de leitos, profissionais mais treinados e com uma rede mais organizada para o enfrentamento da pandemia e finalizo dizendo que isso é em memória de doutora Rose, presidente da FVS “, suscitou o secretário.

O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), salientou a lembrança de Rosemary, que morreu de Covid-19 na busca incansável da pesquisa científica para gerar resultados de combate ao novo coronavírus. “É muito importante essa lembrança da doutora Rose, onde quer que ela esteja tenho certeza que ela está muito feliz com a notícia que está sendo dada hoje, do resultado dessa pesquisa. Em nome dela eu quero cumprimentar todos os profissionais da Fundação de Vigilância em Saúde e todos os profissionais da área da saúde que continuam nessa luta, nessa batalha pela vida das pessoas que estão sendo acometidas pela Covid-19”, enfatizou o governador.

Wilson Lima (PSC), governador do Estado do Amazonas (Reprodução/ Facebook)