Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
29 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Da Revista Cenarium*

MANAUS – O número de óbitos por Covid-19 em Manaus, entre os dias 22 de julho e 1º de agosto, apresentou queda expressiva de 39,1%, no comparativo com os dez dias anteriores (de 12 a 22 de julho), passando de 69 para 42, conforme apontam dados dos boletins epidemiológicos da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS).

Tais dados são emitidos diariamente pelo Governo do Amazonas, com informações públicas, que podem ser acessadas no site da Fundação, por qualquer cidadão que tenha interesse.

Reunião

Contudo, durante uma assembleia promovida pelo Sindicato dos Professores e Pedagogos das Escolas Públicas do Ensino Básico de Manaus (Asprom/Sindical), o pesquisador Lucas Ferrante, mestre em biologia que tem divulgado, através de artigos científicos, que haverá um novo pico do novo coronavírus em Manaus e no Amazonas, afirmou que os dados da Fundação apontam o contrário: que não há redução no número de óbitos e casos na capital.

Inicialmente, a previsão de alguns pesquisadores locais era de que o Amazonas e, em especial, Manaus, sofreria um segundo pico da Covid-19 em julho, mês que, segundo os dados da FVS, ocorreu o contrário e as reduções nos óbitos e internações foram significativas tanto para a capital, quanto para o estado como um todo.

O aumento da testagem fez com que o volume de casos positivos aumentasse, mas, em sua maioria, pessoas diagnosticadas sem a transmissão ativa. Ou seja: já apresentando anticorpos, o que fez com que elas fossem inseridas no grupo de pacientes recuperados da doença.

Redução

No caso de Manaus, em especial, a redução é ainda maior quando ampliado o período de análise para 20 dias. Entre 2 e 12 de julho, as mortes por Covid-19 somaram 95. Vinte dias depois, totalizaram 42, uma queda de 55,7%.

No processo gradativo de flexibilização da quarentena na capital, a abertura do comércio, bares, restaurantes e a volta às aulas em escolas particulares, não impactaram negativamente no número de óbitos. Com a obrigatoriedade da adoção de medidas para evitar a disseminação do novo coronavírus, foi possível controlar a pandemia até agora. É o que mostram os dados oficiais relativos à doença.

O mesmo efeito é notado quando a estatística abrange o estado como um todo. No último dia 1º, o Amazonas chegou ao total de 3278 óbitos pela doença. Dez dias antes (22 de julho), eram 3183 e nos dez anteriores (12 de julho), as mortes por Covid-19 chegavam a 3039. Os decréscimos foram de 18% e 34%, respectivamente.

No quesito média móvel, que avalia os dados dos últimos sete dias, o Estado está há pelo menos quatro semanas, entre as unidades federativas que apresentam queda no número de óbitos, o que provocou a curiosidade das mídias nacional e internacional. Na avaliação de parte da comunidade científica, conforme matéria exibida pelo programa Fantástico, a cidade pode ter adquirido imunidade de rebanho, aquela em que o número de pessoas contaminadas e curadas da doença atinge um percentual ato, impedindo, por exemplo, um novo pico.

(*) Com informações da FVS-AM