Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
27 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
Com informações da Agência Brasil

BRASÍLIA – Começou 2022 e, com ele, a Década Internacional das Línguas Indígenas, instituída pelas Nações Unidas. Apesar disso, o Brasil não tem um mapeamento das línguas indígenas faladas no nosso território. Mas no Pará, o segundo maior Estado da região amazônica, uma pesquisa identificou 34 línguas indígenas faladas no Estado.

Realizado pela Universidade Federal do Pará (UFPA), o estudo faz parte do projeto “As línguas indígenas no Pará em 2021: fraturas do contemporâneo”. Além disso, busca elaborar um inventário sobre as línguas indígenas faladas, atualmente, em todo o Estado.

Esta foi a primeira etapa da pesquisa, realizada durante sete meses de 2021. Encabeçado pelo Grupo de Estudos, Mediações, Discursos e Sociedades Amazônicas, da UFPA, o levantamento teve a colaboração de acadêmicos das Universidades Federais Rural da Amazônia e do Oeste do Pará. A ideia do projeto, era construir um mapa interativo e um documentário, tratando da localização de cada terra indígena e com informações sobre o número de falantes de cada língua, o tronco linguístico a que as línguas pertencem, e sobre as origens genéticas indefinidas de algumas delas.

A professora Ivânia Neves, da UFPA, que coordenou o estudo, conta que esse mapeamento surgiu diante da falta de informações sobre quantas línguas são faladas no estado do Pará. Ela relata que o material foi coletado pelos próprios estudantes indígenas das universidades.

A professora Ivânia Neves ainda destaca que os povos indígenas, atualmente, entendem a importância política de falarem suas línguas, como forma de resistir à história de perseguição, e tentativa de apagamento cultural dessas pessoas.

O projeto foi aprovado pela Secretaria de Cultura do Pará, por meio da Lei Aldir Blanc, no edital de cultura imaterial. Segundo a Universidade Federal do Oeste do Pará, uma das participantes do estudo, pelo menos 65 povos indígenas vivem no estado, incluindo os povos isolados. Os dados são de 2020. Nesta primeira fase da pesquisa, foram registradas 34 línguas indígenas no estado. Esse número não leva em conta as línguas utilizadas pelos povos que vivem isolados no Pará.

Das 34 registradas, 18 são de origem Tupi, quatro são línguas Macro-Jê, nove da família Karib, uma da Karajá, uma da família Arual, e uma língua Warao. Outras treze são dos povos isolados.

Como resultado desta etapa do projeto, os pesquisadores envolvidos construíram um mapa interativo com cada língua e localização, no estado. O produto pode ser acessado, na internet, em gedaiamazonia.com.br. Lá é possível clicar no nome de cada língua indígena e conhecer um pouco sobre cada território onde é falada.