Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
25 de junho de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
Com informações da Polícia Federal

PORTO VELHO – A Polícia Federal deflagrou na manhã desta sexta-feira, 11, a 2ª fase da Operação “Illusio”, com objetivo de promover a descapitalização do patrimônio de organização criminosa voltada à prática de crimes de incêndio, desmatamento e invasão em áreas da União.

A PF cumpre mandado de busca e apreensão em Ji-Paraná/RO com sequestro de veículos e valores existentes nas contas bancárias e aplicações financeiras, incluindo investimento em ações.

Polícia federal quer, por meio da operação, bloquear o patrimônio dos criminosos invasores da reserva ambiental. (Reprodução/Polícia Federal)

A polícia explica que recebeu informações de incêndio de grandes proporções na Reserva do Assentamento Margarida Alves, em Nova União (RO), a 370 quilômetros de Porto Velho. Ao chegar no local, a ocorrência de queimadas, desmatamento e invasão de terras foi confirmada.

Os policiais identificaram a liderança do grupo invasor, além da presença de um advogado apontado como o responsável por dar o aval à invasão. O grupo é suspeito de incendiar, desmatar e invadir a reserva. Os envolvidos devem responder pelos crimes de estelionato, invasão de terra, incêndio, desmatamento e associação criminosa.

Mais de 1,6 milhão de hectares foram devastados. (Reprodução/Redes sociais)

A perícia ambiental constatou uma área degradada em aproximadamente 1.663,1379 hectares e o dano ambiental foi estimado em R$ 3.540.825,69. O custo para a recuperação ambiental da área foi calculado em R$ 2.959.373,96. Com isso, o grupo gerou um prejuízo próximo de R$ 6.500.000,00 para a União.