Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
21 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Victória Sales – Da Revista Cenarium

MANAUS – Na contramão de atitudes para ajudar a Bahia após um tragédia natural que já resultou em 24 mortes, o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), manteve as férias em Santa Catarina com a família e amigos. A decisão do representante foi criticada até por aliados de Jair e gerou comentários entre os internautas nas redes sociais.

Mas, apesar de reprovar as atitudes de presidente e mesmo com a distância entre o destino da viagem de férias e o Estado da Bahia, Bolsonaro tem mantido contato com os ministros que estão à frente do problema, e, por conta disso, de acordo com esses aliados, as ações do governo não precisaram ser prejudicadas.

Segundo o jornal O Globo, um dos ministros admitiu que o presidente determinou que não era para cancelar o período de descanso, o que acabou gerando incômodos. Ainda de acordo com o jornal, o ministro revelou que faltou “empatia” a Bolsonaro, pois ele mesmo ficou dois dias com a própria roupa supervisionando as ações no Sul da Bahia.

Nas redes sociais, o governador da Bahia, Rui Costa, aproveitou o momento para criticar o presidente. “Governar é cuidar de gente e não há como fazer isso longe das pessoas. Estou no sul da Bahia desde domingo, visitando as cidades atingidas pelas fortes chuvas e posso afirmar que e o estrago vai além das sedes das cidades e das casas”, destacou.

Rui ainda contou que principalmente nas zonas rurais há muitas pontes destruídas, o que representa um prejuízo enorme. “Uma das cidades que visitamos hoje foi Ibirataia e já decidimos construir cerca de 50 casas para retirar as pessoas que estão morando em condições precárias à beira do rio, em barracos alagados”, relatou.

Ainda nas redes sociais, o representante estadual criticou a chegada de recursos federais. “Mesmo que não venham recursos federais, o governo do Estado reconstruirá todas as casas e as cidades que foram destruídas com as chuvas na Bahia. Vamos estabelecendo prioridades e, ao longo de 2022, em parceria com os municípios, nós vamos garantir uma moradia digna às pessoas”, explicou.

Imagens de resgate de vítimas da enchente na Bahia (Reprodução/Internet)