Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
21 de outubro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml
Victória Sales – Da Cenarium

MANAUS – A Polícia Federal (PF) em Vilhena, cidade de Rondônia, deflagrou na manhã desta quarta-feira, 15, a operação Carga Pesada, com objetivo de desarticular uma organização criminosa direcionada ao tráfico de drogas em grande escala. No total, a ação contou com 270 policiais que cumpriram 45 mandados de prisão e 63 de busca e apreensão, nos Estados de Rondônia, Acre, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais, Paraná e Santa Catarina.

De acordo com a PF, os membros da organização eram responsáveis pelo envio de grandes quantidades de cocaína de Rondônia para os outros Estados. Em conjunto com esse ato, o grupo realizava também a aquisição de cargas de maconha que vinham do Mato Grosso do Sul para serem distribuídas entre Rondônia e Acre. Ainda segundo a Polícia Federal, a investigação teve início no final de 2019, com mais de 2,5 toneladas de drogas apreendidas.

Um camaro vermelho foi apreendido durante os trabalhos de combate ao tráfico de drogas (Divulgação/PF)

Prisões

A Polícia Federal informou ainda que, além das prisões, foram feitos os sequestros de 150 veículos, na maioria carros de luxo, suspensão de atividades de empresas relacionadas à lavagem de capitais, e o bloqueio de contas utilizadas pelos investigadores e as empresas.

Segundo a PF, os investigados poderão responder pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico, lavagem de capitais, organização criminosa, falsidade ideológica, que somadas podem ultrapassar 40 anos de prisão. Os mandados cumpridos foram expedidos pelo Juízo Estadual da 2ª Vara Criminal da Comarca de Vilhena, em Rondônia, com a ajuda da Polícia Militar e do Ministério Público de Rondônia.

A Polícia Federal explicou também que a organização é bem estruturada e que tinha ligação a uma facção criminosa. Ela tinha diversas funções, ou seja, dentro do grupo cada um tinha seu núcleo, além do número dos fornecedores de drogas que a PF teve acesso. Entre as prisões realizadas, foram 23 preventivas e 22 de prisão temporária sem prazo definido.