Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
25 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Com informações da Agência Brasil

BRASÍLIA — Está prevista para este domingo, 9, a chegada de papiloscopistas da Polícia Federal que ajudarão no trabalho de identificação dos corpos das vítimas do desmoronamento de um paredão rochoso em Capitólio (MG). Por meio da rede social Twitter, o ministro da Justiça, Anderson Torres, lamentou a tragédia e reiterou o apoio da pasta à Polícia Civil de Minas Gerais.

“O País amanhece em choque com as tristes cenas de ontem. Além de toda nossa solidariedade às famílias atingidas, a certeza da nossa ajuda direta. O Ministério da Justiça, por meio da Polícia Federal, está na região em apoio à Polícia Civil de Minas Gerais. Romeu Zema [governador de Minas Gerais], conte conosco”, postou o ministro.

Veja também: Bombeiros confirmam mais uma morte em tragédia no município de Capitólio, Minas Gerais

Os policiais federais enviados a Capitólio são do Núcleo de Identificação da Superintendência da Polícia Federal em Minas Gerais. Eles estão sendo enviados para o Instituto Médico Legal de Passos (MG), para onde foram levados os corpos encontrados pelos bombeiros.

O desabamento ocorreu por volta das 12h30 desse sábado, 8, quando um grande bloco de pedra se desprendeu do cânion do Lago de Furnas e caiu sobre pelo menos três lanchas. Duas embarcações afundaram. Neste domingo, 9, a equipe do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais encontrou o corpo de mais três pessoas que estavam desaparecidas após o acidente.

Assim, o total de mortos subiu para dez no acidente que envolveu a queda de parte de um cânion sobre lanchas que passeavam pelo lago de Furnas, deixando ainda 32 pessoas feridas.