Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
20 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Luís Henrique Oliveira – Da Revista Cenarium

MANAUS – Única candidata, que declaradamente tem a Ciência como luta para conseguir uma cadeira na Câmara Municipal de Manaus (CMM), a química industrial Débora Moura (Solidariedade Amazonas) afirmou à REVISTA CENARIUM que política não é para leigos. Segundo ela, para criar leis e fiscalizar o Executivo Municipal, é preciso ter cuidados técnicos e um olhar diferenciado, principalmente, em relação a assuntos voltados para educação.

“Eu sempre tive perfil de liderança, mas nunca tive intenção de entrar para política. Já participei de grêmio estudantil, enfim, até que em 2019 fui convidada pelo presidente estadual do Solidariedade, Bosco Saraiva, para ir a uma reunião de mulheres que poderiam se candidatar. Ele disse que eu tinha perfil por ser professora e multiplicar as candidaturas. Então, comecei a me destacar e influenciar diretamente nos eventos. Eu não queria ser candidata até março deste ano, mas eu comecei a amadurecer a ideia e decidi mesmo em julho”, disse Moura.

De acordo com a postulante, atualmente, a Ciência é muito desvalorizada no País, mesmo em tempos onde a sua necessidade é de extrema importância. “Minha principal bandeira de campanha é a Ciência. A profissão cientista no Brasil é muito desvalorizada e não é reconhecida. Existe um caminho para ser cientista que inicia na graduação. Você que faz ciências precisa de altos requisitos como boas notas, empenho e isso ganhando menos de meio salário mínimo. Mas poucas empresas te reconhecem como tal. O caminho, geralmente, te leva à docência e, mesmo assim, não tem valorização”, completou.

“Não quero ser mais uma, quero ser diferente”

Embora existam diversas iniciativas interessantes para fazer com que crianças e jovens cada vez mais tenham interesse pela Ciência, a candidata explica que é na Educação Básica que esse contato é primordial.

Débora Moura falou à REVISTA CENARIUM sobre propostas e campanha para o pleito 2020 (Ricardo Oliveira/ Revista Cenarium)

“Entre as principais propostas, Débora Moura explicou que é preciso fortificar o grupo de cientistas de Manaus. 70% das minhas propostas são para Ciência. Tenho interesse de destinar as minhas emendas parlamentares para a Ciência. Tenho o desejo de inserir tecnologia STEM (Science, technology, engineering, and mathematics), que é o método que utiliza aplicação de conceitos da Ciência Básica desde o ensino fundamental até o ensino médio. Esse é um momento que precisamos da Ciência. Não quero ser mais uma, quero ser diferente. Manaus precisa de um olhar mais cuidadoso para a educação infantil, que é a base”, explica Débora.

Sobre os riscos da profissão e sua importância, Débora lembrou que mesmo sem ajuda de terceiros ou direitos previstos na CLT, sempre buscou por estudo. Além disto, em todos os anos de estudo, sempre se expôs a componentes químicos altamente perigosos. “Mas se você parar para pensar, nessa pandemia, por exemplo, a nossa única esperança está na Ciência. Se não for ter esperança no desenvolvimento de um fármaco, métodos, regras. Cientista busca vacinas, vitaminas e isso ninguém vê. O papel dos infinitamente pequenos é infinitamente grande, pois nosso papel é não desistir. Falta um olhar mais sensível”, disse.

Papel do vereador

Os vereadores são responsáveis, entre outras funções, por legislar, realizar a fiscalização financeira e da execução orçamentária do Executivo Municipal, além de julgar as contas apresentadas pelo prefeito. Os vereadores também são responsáveis por discutir, propor, votar sobre os impostos da cidade, a criação e manutenção de bairros, distritos ou ruas e iniciar processo de impeachment.

“Não tenho nada contra, mas há parlamentar que não tem o mínimo de preparo. Não precisa ter doutorado para ser o melhor vereador, mas política é coisa séria. Um parlamentar chegou a propor as mangueiras de postos de gasolina transparente para verificar se a gasolina estava adulterada, mas isso não tem como detectar visualmente. Onde está a sensibilidade de uma pessoa dessa? Eu analiso que as pessoas não sabem qual o real papel do parlamentar. Política não é para leigos. O conceito da política é muito bonito. O que deturpa são as pessoas que estão nela”, finalizou.