Prefeito de Anori, no AM, bloqueia entrada do município para pessoas vindas de outras cidades

Luís Henrique Oliveira – Da Revista Cenarium

MANAUS – Para evitar o intenso fluxo de pessoas e, consequentemente, resguardar a população da propagação do novo Coronavírus, o prefeito de Anori (a 194 quilômetros de Manaus), Jamilson Ribeiro Carvalho, determinou o fechamento do acesso ao lago do município para
entrada de barcos e lanchas com pessoas vindas de outras cidades. A cidade já contabiliza 47 casos da doença.

De acordo com a decisão, publicada na edição desta quarta-feira, 6, do Diário Oficial, disponibilizada pela Associação Amazonense dos Municípios (AAM), o prefeito determina ainda que os proprietários de barcos que fazem recreio em Anori, que até 19 de maio do ano, só poderá sair uma embarcação por dia, a fim de manter o controle de embarque e
desembarque de passageiros e o controle do porto no âmbito municipal.

Serviços suspensos

Segundo o prefeito de Anori, as aulas da rede municipal de ensino da Zona Urbana e Rural do Município também continuam suspensas, assim como as atividades realizadas pelo CRAS, INSS, Casa do Cidadão, Setor de Terras, Secretaria de Produção Agrícola, Secretaria do Interior, Secretaria de Defesa Civil, a exceção dos casos de emergência e urgência.

Além disto, ficam suspensos todos os atendimentos odontológicos no âmbito da Semsa, exceto os atendimentos de urgência e emergência. Os demais órgãos funcionar somente com expediente interno, dispensando todos os funcionários portadores de doenças consideradas crônicas.

Ainda neste sentido, fica restrito a partir desta quarta-feira, 6, pelo prazo inicial de 15 dias, o funcionamento de estabelecimentos comerciais que desenvolvem atividades com potencial de aglomeração de pessoas, para funcionar somente das 6h às 12h, em razão da Situação de Emergência em Saúde Pública declarada por meio do Decreto nº 011, de 23 de março de 2020.

Casos de Covid-19 no interior

A medida que os casos aumentam, a preocupação da população do interior do Estado, também. Para se ter uma ideia, dos 8.109 casos confirmados, 4.804 são de Manaus (59,24%) e 3.305 do interior do estado (40,76%), conforme última atualização da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), divulgada nesta terça-feira, 5.

Além da capital, 53 municípios têm casos confirmados, sendo Manacapuru (611); Parintins (263); Tabatinga (232); Iranduba (181); Santo Antônio do Içá (180); Itacoatiara (150); Rio Preto (145); Coari (143); Maués (139); Careiro Castanho (118); Carauari (116); Tefé (113); Presidente Figueiredo (105); Autazes (92) e São Paulo de Olivença (89).

Também Tonantins (59); Boca do Acre (52); Anori (47); Benjamin Constant (47); Amaturá (35); Urucará (34); Tapauá (28); Silves (26); Nova Olinda do Norte (25); Lábrea (21); Manaquiri (19); Maraã (19); São Gabriel da Cachoeira (18); Careiro da Várzea (17); Fonte Boa (17); Itapiranga (17); Novo Airão (17); Beruri (14); Barreirinha (12); Novo Aripuanã (12); Urucurituba (12); Jutaí (11) e Borba (10).

Os municípios de Caapiranga, Codajás e Manicoré têm sete casos cada um. Eirunepé tem seis casos. Barcelos, Canutama e Santa Isabel do Rio Negro têm cinco casos cada. Anamã tem quatro casos. São Sebastião do Uatumã tem três casos. Alvarães, Boa Vista do Ramos, Humaitá e Nhamundá têm dois casos. Os municípios com apenas um caso confirmado são Atalaia do Norte e Juruá.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO