8 de março de 2021

Jennifer Silva – Da Revista Cenarium

MANAUS – Circulam nas redes sociais nesta terça-feira, 9, uma imagem de um personal trainer sendo imunizado no posto de vacinação da Prefeitura de Manaus, localizado na Universidade Paulista (Unip). Em entrevista à REVISTA CENARIUM, policiais militares, que atuam desde o início da pandemia na linha de frente contra a Covid-19, revelam indignação pelo fato.

Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), somente em janeiro deste ano, mais de 30 profissionais da área da Segurança Pública foram vítimas da Covid-19. Para o policial Alexandre Ramos*, de 38 anos, o cronograma de vacinas vai na contramão das reais prioridades da população.

“Eu não recebi a vacina ainda e já até peguei Covid-19. Nenhum policial da minha companhia recebeu a imunização, na verdade. O que é uma falta de responsabilidade da gestão municipal já que a aplicação das vacinas está sob determinação da prefeitura”, afirmou.

Reforço policial é para evitar aglomerações e a disseminação de Covid-19 no Estado. (Divulgação/SSP-AM)

Revolta

Jean Carlos*, de 34 anos, também é policial militar e afirma ter sorte por não ter contraído ainda o novo Coronavírus, mesmo atuando desde março atuando na linha de frente. “Tenho respeito por todos os profissionais e sei que todos precisam se sustentar, mas as academias não são serviços essenciais. E por que nós policiais que protegemos todos em qualquer situação não conseguimos ser vacinados logo e ainda temos que assistir às pessoas furando fila?”, desabafou.

Autorização

À REVISTA CENARIUM, Fabrizio Pirelli, personal trainer do viral, detalha que atua no setor privado com musculação e reabilitação e que teria sido comunicado sobre a autorização das vacinas. “Nos grupos de personal, recebemos a informação de que estavam vacinando os profissionais de educação física. Fomos até ao local com todos os documentos exigidos (Cref e RG) e fomos autorizados pelos fiscais do local que disseram que estava tudo certo e tomamos, muitos tomaram”, disse.

Personal Trainer sendo imunizado contra a Covid-19 em unidade do ponto de vacinação da Unip (Reprodução/ Internet)

“Após algumas horas, chegou o aviso de uma nova portaria que estava suspenso para o grupo de profissionais da educação física e que abriria novamente ainda esta semana. Foi essa a informação passada e consegui me vacinar porque, segundo o comunicado, ainda estava autorizado”, finalizou.

Determinação

De acordo o site vacinômetro, administrado pela Prefeitura de Manaus, o profissional de educação física é prioridade e se encaixa na categoria dos profissionais da saúde. Com isso, os profissionais conseguem ser imunizados nos postos abertos das 9h às 16h para atendimento de toda a cidade.

(Reprodução/Internet)

Categorias

A extensão da vacinação para todos os integrantes dos grupos 4 e 5 de trabalhadores da Saúde foi feita por consenso entre as secretarias municipal de Saúde (Semsa) e do Estado (SES-AM) e está descrita na Nota Informativa nº 05/2021 (Dipre/FVS-AM).

Nota técnica da FVS-AM sobre cobertura vacinal e critérios de imunização. (Reprodução/FVS)

Segundo nota da Semsa, o carregamento de doses corresponde à primeira e à segunda doses e é suficiente para alcançar todas as pessoas do grupo 4, formado por trabalhadores das clínicas privadas multiprofissionais e das drogarias e farmácias, desde que sejam profissionais da saúde; e as do grupo 5, que são trabalhadores das sedes administrativas das secretarias de Saúde e do Complexo Regulador.

A equipe de reportagem da REVISTA CENARIUM entrou em contato com a Semsa para saber detalhes das determinações de vacinação e até o fechamento desta matéria não houve retorno.