Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
17 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Com informações da CNN e InfoGlobo

BRASÍLIA – O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou, nesta segunda-feira, 8, em entrevista à reportagem da CNN Brasil, que deve se filiar ao Partido Liberal (PL), cujo dirigente é o ex-deputado Valdemar Costa Neto. Mais cedo, o presidente da sigla também havia confirmado a filiação de Bolsonaro.

“Está 99% fechado. A chance de dar errado é quase zero. Está tudo certo”, afirmou Jair Bolsonaro à CNN Brasil. Ao ser questionado sobre quando irá bater o martelo, Bolsonaro disse que vai depender de uma reunião na próxima quarta-feira, 10, com representantes do PL.

“Na quarta-feira, terei a última conversa com a sigla. Irei conversar com o Valdemar para, em seguida, marcar a data do casamento”, ressaltou Bolsonaro. Segundo ele, o objetivo da filiação é focar, em 2022, em candidaturas de senadores e deputados federais.

Negociações

Valdemar Costa Neto, ao confirmar que o presidente Jair Bolsonaro vai se filiar ao partido, afirmou ainda que Bolsonaro relatou ter conversado com o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, presidente licenciado do PP, legenda com a qual ele também vinha negociando.

“Sempre falo com o presidente. Sempre tive contato com o Bolsonaro. Agora, tivemos o contato anterior e as coisas andaram. Fiz nossa gravação convidando ele para vir par ao partido”, disse Costa Neto, em áudio distribuído por sua assessoria. “Ele falou com o Ciro (Nogueira) hoje e então vamos tocar para frente o assunto e ver quando vamos fazer essa filiação”, continuou o ex-deputado.

Segundo o jornal O Globo, no PP, o discurso oficial é que a ida de Bolsonaro para o PL não é um problema, porque o partido de Costa Neto é um aliado e garante que estará no projeto de reeleição. Reservadamente, porém, integrantes do PP relatam frustração e admitem que todos os esforços foram feitos para ter o presidente da República.

Ciro Nogueira chegou a garantir a Bolsonaro que teria o apoio de todos os diretórios estaduais, além de assegurar que o presidente poderia indicar candidatos ao Senado.

Após a decisão de Bolsonaro, membros do PP afirmam que ainda não está definido qual a participação da sigla no projeto da reeleição. Segundo esses integrantes, não ficou definido se o PP indicará o candidato a vice.

De acordo com parlamentares do partido, Valdemar Costa Neto mandou um recado ao presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), dizendo que poderia não apoiar a reeleição dele na casa se o PP seguisse insistindo em levar Bolsonaro.

No áudio divulgado por sua assessoria, Costa Neto falou em um possível acordo para a sucessão de Lira, que envolveria também outras siglas aliadas, como Republicanos. O atual presidente da Câmara seria reeleito em 2023, mas depois haveria um rodízio entre as demais legendas.

“Temos que nos entender, para que todos sejam atendidos. Porque política é isso. Hoje o PP tem a presidência da Câmara e vamos querer ter essa presidência. Tem a reeleição do Arthur, vamos apoiar. E depois de nós, vai vir o PRB (Republicanos). Todos têm que crescer, todos têm que ter essa vantagem. E não pode ficar para trás. Se temos um grupo, ninguém pode ficar para trás”, disse Costa Neto.