8 de março de 2021

Com informações da Fórum

Manaus- Na última terça-feira, 02, a Câmara Municipal de São Paulo abriu os trabalhos do legislativo. O que era para ser o primeiro contato político entre os parlamentares que compõem a Câmara, transformou-se em um constrangimento. A sessão inaugural foi marcada por falas transfóbicas da vereadora Sonaira Fernandes (Republicanos).

Com a presença das vereadoras transexuais Erika Hilton (PSOL) e de Thammy Miranda (PL), Fernandes afirmou que, “a cada dia que passa, a agenda globalista quer desmoralizar a figura do homem. Essa agenda pretende feminilizar o homem e masculinizar as mulheres”.

Erika Hilton pediu a palavra e respondeu aos ataques de Sonaira Fernandes. “Fui pega de surpresa com um ataque tão vexatório e desequilibrado na primeira sessão. Já sabia que aconteceria, pois é dessa forma que esses grupos de direita que vivem de espetacularização da política, mas não na primeira sessão”, disse ela.

Ataque a toda comunidade LGBT

“Achei que foi um ataque a nós, sim, pois éramos os corpos trans que estavam lá, mas, mais que isso, a toda a comunidade LGBT. Achei a vereadora desequilibrada emocionalmente, não estava preparada, reproduziu a lógica bolsonarista”, disse Hilton.

Em seu perfil nas redes sociais, Hilton também comentou e afirmou que a “cis-generidade está surtada”. “Esse mundo está muito louco, de ponta cabeça, a cis-generidade está surtada, a branquitude surtada, todo mundo enlouquecido, porque as pessoas não estão acostumadas a ver os nossos corpos ocupando outros espaços”, criticou.

Na sequência, a vereadora do PSOL comentou sobre os ataques transfóbicos de Sonaira Fernandes. “Primeiro dia de sessão plenária e uma das vereadoras bolsonaristas já teve um surto que ninguém entendeu, porque a colega desequilibrada decidiu atacar as pessoas trans”, comentou Sonaira.